diário #84 – os seus dedos me contam sobre o amor

os seus dedos nos meus cabelos eram tão leves quanto as plumas daquele travesseiro que você ama. sentia cada um delicadamente passando por cada fio de cabelo de uma forma tão suave que parecia o vento de fim de tarde de verão batendo preguiçosamente nas folhas da macieira da calçada de casa.

eram tão leves e gentis que me fizeram sorrir devagarinho. primeiro um canto da boca, depois o outro. e um a um os dentes apareceram de forma graciosa e divertida, como se tivessem esperado por esse momento a vida inteira.
não existe no mundo todo dedos como os seus. porque, em si, não eram os dedos, era amor. e não era um amor qualquer, daquele que a gente vende por ciúmes e troca por dinheiro em qualquer esquina em busca de um pouco de reconhecimento e aceitação. não, é o tipo de amor que faz o mundo parar de girar e o coração voltar pro eixo, de onde nunca saiu. o tipo de amor que transforma tudo em obra de arte, o tipo de amor que prova que Deus existe.
naquele momento, os seus dedos eram Deus me contando sobre a beleza da vida e sobre o meu lar. sobre a vida que eu mereço ter e a alegria que passou tanto tempo adormecida no meu peito. os seus dedos me deram a voz mais afinada para cantar todas as melodias que a gente ama e me deu talento o suficiente para criar pinturas tão belas quanto o céu estrelado de Van Gogh. não é nenhum segredo o quanto olhar pra esse quadro te lembra de você mesmo.
senti os seus dedos correrem do alto da minha cabeça até a pontinha dos meus fios de cabelo e em cada segundo de contato eu me senti viva e me vi pelos seus olhos, mesmo estando a um segundo de distância de dormir nos braços de Morfeu.
todos os muros de dissolveram, as formas perderam o sentido e as cores se misturaram a ponto de se tornarem uma só luz que ligava você a mim e eu a você. unidos através de uma única linha invisível que jamais foi ou será quebrada. amor.
sentia a grama tocando as minhas pernas e pensei, por um segundo, que eu gostaria que o tempo não existisse só para guardar esse momento na eternidade. ingenuidade a minha, claro. amor de verdade não depende de tempo para acontecer e essa memória ficará pra sempre marcada no meu coração. como uma tatuagem, mas sem a tinta.
só ri de cicatrizes quem nunca sentiu na pele uma ferida, já dizia Shakespeare. e quem é que não sentiu alguma vez na vida que o amor não existe? bobagem, bobagem, mil vezes bobagem. o amor existe e está nas pontas dos seus dedos, me lembrando que o mundo tem solução e que o aperto na minha garganta não passa de uma imaginação infantil. tão claro e poético quanto o monólogo de Julieta.
somos todos crianças brincando de faz de conta esperando o pai nos lembrar mais uma vez que o que é imaginado não tem efeito. e se não tem efeito, não é nada. e se não é nada, não existe. só o amor existe e ele está tão palpável agora quanto o calor de uma tarde ensolarada de fevereiro. ele gruda na pele, braços e pernas. ele dá brilho aos olhos, ele acalma e cura. ele é. ele ensina.
os seus dedos me ensinam mais sobre mim agora do que todos os professores que já encontrei na vida juntos, e ele grita com uma voz gentil que eu não estou sozinha.
abro os olhos enfim e percebo que você não está lá. nunca esteve, na verdade. e, por momento, vejo as garras cruéis do medo me lembrarem que tudo não passou de sonho.
mas o coração quente e as lágrimas felizes me recordam que o sonho feliz é uma obrigação de todos. é inevitável, indubitável, é eterno. se acordei com um lembrete mais verdadeiro sobre mim, quem disse que eu dormi de verdade?
e se senti você comigo, quem é capaz de dizer que você não me amou? não, não sou capaz de mentir sobre a verdade. no mínimo, a sua presença me lembra que não estou sozinha, e que o sonho feliz chega para todos. se ele surge, porém, na realidade ou não, isso depende do entendimento de cada um do que é uno, do que é carinho, do que é sonho e do que é amor.

4 comentários

  1. Ahh que texto mais carregado de amor! <3
    Lindo do começo ao fim! Adorei!
    Beijos!! :3

    1. Maki respondeu Bianca Mariane

      brigada, Bianca! fico feliz que você gostou!

    1. Maki respondeu Nana

      obrigada! ♥

deixe seu comentário