Moda: A onda das peças de crochê

Chegou verão, Boogie Oogie continua passando na Globo e eu vejo cada vez mais peças de crochê na rua, na chuva, na fazenda (ou numa casinha e sapê – tu dum pssss).

peças-de-croche-1Foto: Lookbook Manuela

Eu, particularmente, não sou muito fã esse tipo de roupa. Acho que simplesmente não combina comigo, mas estou curtindo bastante ver as combinações do pessoal para o verão. Além do mais, biquínis de crochê estão por todos os lados, então é um pouco impossível ignorar essa moda!

O crochê varia muito por conta da linha e da agulha, podendo resultar em uma trama mais simples e delicada ou outra mais forte e firme, o que é bastante comum hoje em dia. Acho que o que eu tenho mais visto por aí são tops, tipo os cropped, feitos de crochê para serem combinados com shorts de cintura alta e quimonos, por exemplo. Uma coisa bem Vanessa Hudgens, sabem?

peças-de-croche-2

Fotos: Lookbook Anoushka, Stardust Luise

Tenho pra mim, porque o crochê foi muito famosos na década de 1970, que qualquer produção montada com uma peça dessas fica um ar meio boho, mas é claro que isso pode variar muito, dependendo do tipo de combinação. Você pode criar um visual totalmente seventies com uma calça boca de sino, colete e chapéu floppy, ou dar um ar mais descontraído para um look com shorts de alfaiataria e sapatos de alto alto.

Se você não é muito fã da transparência pode usar uma regatinha por baixo da blusa de crochê, ou combiná-la com uma jaqueta (o que no verão é um verdadeiro sacrifício) ou com um colete de linho, mais leve (uma opção bem mais bacanuda).

peças-de-croche-3

Fotos: Lookbook Victoria, Toshiko e Adriana

Ah, e os vestidinhos assim são uma boa aposta para os dias bem quentes. É uma variação legal do top cropped, que dá impressão de look muito mais despojado e descontraído. Uma coisa mais final de semana, talvez. O que vocês acham? Curtem essas peças?

Apresentando o #projetomaki2015

Eu sei que já estamos em fevereiro, e eu sei que falei que esse ano ia ser diferente. Por isso mesmo, decidi colocar aqui, no blog, um projeto que eu estava penando para tirar do papel por pura resistência besta. Quando fiz 27 anos, em outubro do ano passado, prometi a mim mesma que chegaria aos 28 muito melhor e essas pequenas coisas, pequenas melhorias, fazem muito parte disso.

É um projeto bem no sentido pessoal mesmo, de vida. Algumas coisinhas que eu quero mudar e que me incomodam há muito, muito, tempo. Decidi colocar algumas delas em lista aqui (outras vou deixar de fora por serem pessoais demais), assim vocês têm uma ideia do que eu tenho em mente e também da evolução disso tudo.

projeto-maki-2015

Cheguei a falar no vídeo que fiz para o Ano Novo que uma das coisas que eu simplesmente precisava fazer, por uma questão de saúde, era engatar num exercício físico. Esse é o primeiro e mais importante tópico da lista, porque a minha procrastinação para isso é muito vergonhosa! Em seguida vem alimentação. Vou fazer um Chá com a Maki falando um pouco mais sobre isso, mas tenho algumas restrições alimentares que eu simplesmente não sigo no último mês e meio, mais ou menos, e como não poderia deixar de ser, isso tem me feito mal. Prestar atenção na alimentação é uma batalha de muitos anos, porque a minha preguiça na cozinha também é dar nos nervos.

Falando nisso, até comprei aquele livro, A Força do Hábito (quem segue o Desancorando no Instagram sabe!) para ver se ajuda. Ouvi dizer que ele é ótimo e eu bem que estou precisando de um empurrãozinho nesse aspecto.

Então, vamos lá:

1. Fazer exercícios físicos pelo menos uma vez por semana
2. Prestar mais atenção na alimentação
3. Sair do computador às 19h30 (salvo exceções)
4. Ler antes de dormir
5. Passar menos tempo nas redes sociais

A parte do computador eu explico. Jornalista que sou, já passo boa parte do meu dia no computador. Até aí, tudo bem, é o meu trabalho. O problema é quando eu fico no computador o restante do dia fazendo absolutamente nada. Nem mesmo coisas para o blog, e isso é algo que me incomoda demais. Sei que é um hábito péssimo que eu preciso mudar. Claro que esse horário pode variar, se eu tiver que trabalhar de noite em alguma cobertura ou precisar terminar um trabalho que não tive tempo à tarde por conta de um compromisso. Vale a lei da compensação aqui!

As redes sociais são também por conta de um péssimo vício: celular.  Eu percebi, nos últimos tempos, que muitas vezes estou sentada no computador, mas olhando as redes no celular. GENTE. Olha o nível. Não dá, ? Claro que tenho que manter as redes do blog atualizadas, MAS tudo tem limite. Vou até mesmo desativar todas as notificações de Facebook e afins para não cair na tentação de olhar o tempo inteiro. Eu perdi o controle com isso, de verdade. Se deixarem eu passo a tarde inteira no Instagram.

Por isso também estabeleci para ler mais antes de dormir. A ideia é eu usar o tempo para adiantar as minhas leituras, ao invés de sair do computador, deitar na cama e ficar no celular (fora que isso faz um maaaal pra pele!). Aí não dá mesmo!

Isso tudo está dentro da minha lista de resoluções para 2015, mas, confesso, ao mesmo tempo que dei um gás em algumas coisas, enrolei muito em outras. Bem no estilo de querer tudo e não conseguir nada, sabe? Corri atrás do próprio rabo por alguns dias aí. Rsrsrsrs

Quero ver se consigo fazer pelo menos um post mensal para falar sobre a evolução desse projeto. Quem sabe assim não fico mais estimulada, pra não fazer feio por aqui! Me desejem sorte!

Na Web #07

Que alegria! Primeiro post do blog já com o layout novo! Vocês não têm ideia de como eu tô feliz com essa carinha nova dele!

Como foi a semana de vocês? A minha foi ótima. Com alguns altos e baixos, mas isso é normal, né? Ainda bem que deu tudo certo no final. Quem segue o blog no Instagram (segue lá!) sabe que eu comprei um livro que chama Por Lugares Incríveis e, meldels, esse livro é demais e marcou MUITO esses últimos dias. Não vejo a hora de gravar vídeo falando sobre (o que pretendo fazer hoje mesmo, aliás!). Fora isso, tudo mais ou menos na mesma!

links-da-semana-7

Vamos aos links maravilhosos dessa semana?

1. Tenha um mantra só seu

2. Be More Intentional With Waht You Consume (link em inglês)

3. Você não precisa ser popular pra ser feliz

4. Dica-blog entrevista: Thereza Chammas, do blog Fashionismo

5. O exercício da surdez na construção da autoestima

O que acharam? Se vocês tiverem dicas, deixem nos comentários!

Uma semana mara pra todos nós!

Desancorando de cara nova!

Êeeee! Quem acompanha o blog no Facebook (corre lá pra curtir a página!), já viu que o Desancorando está com uma carinha nova, não é?

blog-novo

Fico muito feliz com essa mudança, primeiro porque, quando imaginei o Desancorando pela primeira vez, pensei em uma página que refletisse muito o momento pelo qual eu passava/passo e também que me representasse de verdade, que mostrasse quem eu sou (ou, pelo menos, que me ajudasse a descobrir!).

Para isso contei com a ajuda da talentosíssima da Gabi Barbosa, do Teoria Criativa, para criar o layout, que apesar de bastante simples, é exatamente o que eu tinha em mente para este espaço, que tanto amo (e que agora passei a amar ainda mais!). Muito obrigada mesmo, Gabi! Ficou lindo <3. A programação, igualmente mara, ficou por conta da Dani Danczuk, que deixou o blog totalmente nos conformes!

Agora dá para ver direitinho todas as categorias ali na barra lateral, bem mais fácil para navegar, e o blog também tem três destaques que vão mudar de tempos em tempos, ali em cima, logo abaixo do header. Diz se não ficou uma graça?

Pra mim, essa mudança é super importante, porque é como se o blog agora fosse de verdade (não que ele não fosse antes) e eu não tenho mais desculpas pra procrastinar o que eu quero fazer com esse espaço, como já comentei por aqui (Alô, preguiça? Não te amo mais! Adeus!).

Enfim, é isso. Mais uma vez, muito obrigada Gabi e Dani por esse trabalho maravilhoso! Espero que vocês também gostem!

Diário #10 – Sobre o poder da palavra

Dias desses li um livrinho (bem inho mesmo), indicado pela minha terapeuta e chamado Os Quatro Compromissos. Essa leitura, claro, faz parte do meu tratamento, justamente porque fala muito sobre uma forma de viver a vida com a qual eu me identifico cada vez mais.

Um dos quatro compromissos pelos quais temos que viver, segundo o livro, é: usar a palavra de forma impecável. E o impecável aqui é no seu sentido original, isto é, sem pecado. O objetivo é perceber como a palavra é importante não só na construção do caráter, mas também na vida em sociedade e como a utilizamos contra os outros, mas principalmente contra nós mesmos.

talk

Vocês já pararam para pensar nisso? Usamos a palavra – nossa e dos outros – contra nós o tempo inteiro. Pegamos uma única frase e a tornamos uma realidade a nosso respeito. Tipo quando você é pequena e tenta cantar, mas alguém diz ‘Melhor só ouvir a música, você não sabe cantar‘. A partir do momento que a frase foi dita, de certa maneira, a transformamos em uma verdade.

Esse, claro é só um exemplo simples e pontual, mas fazemos isso praticamente todos os dias, o dia inteiro. Uma crítica de um chefe, um comentário do namorado(a), uma bronca da mãe… As palavras são ditas e nós as usamos como armas poderosas contra a nossa própria autoestima, criando a nossa personalidade segundo o que os outros dizem sobre nós.

A verdade é que muito do que é dito diz mais sobre quem fala do que sobre quem ouve. Se você fala mal de alguém, na verdade está falando mais de você mesmo do que do outro. O outro é apenas a desculpa que você encontrou para expor aquela insegurança.

Usar a palavra de maneira impecável é tomar cuidado com o que diz, principalmente porque usamos tanto a fala como uma arma pessoal. Pensar antes de falar pode ser um clichê, mas é um clichê muito válido. Pensando naquilo que vamos falar não só somos mais gentis com o próximo – mesmo que seja para dar uma notícia ruim -, mas, principalmente, somos mais gentis com nós mesmos. E todo mundo sabe que o mundo precisa de mais gentileza, não é mesmo?

Se alguém tiver a oportunidade (ou o interesse!) recomendo a leitura desse livrinho. Dá para comprar na Saraiva e na Livraria Cultura, e tem alguns pontos bem interessantes que me abriram os olhos!