O dia que eu comprei um ukulele

Quem me acompanha no Instagram (segue lá, migs!) viu que eu tenho um novo amigo: o nome dele é Théo e ele é um ukulele. A ideia não surgiu do nada, mas veio depois de marinar a ideia na minha cabeça por muito tempo (pelo menos uns seis meses) e depois de uma aula incrível como uma pessoa mais incrível ainda no Centro Cultural de São Paulo (melhor lugar, visitem! <3)

O dia que eu comprei um ukulele

Eu sempre reclamei de não saber tocar um instrumento musical, mas ao mesmo tempo, eu também nunca tive interesse o suficiente para aprender de verdade. Isso mudou tem um tempinho, quando eu comecei a pensar que seria legal tocar o ukulele. Primeiro porque já ouvi dizer muitas vezes que é bem mais fácil que um violão (e é mesmo) e segundo porque o som é muito gostosinho, e sinto que combinaria mais comigo.

Então, lá fui eu na Rua Teodoro Sampaio comprar o meu ukulele. O meu da Kalani, e eu comprei depois de passar em algumas lojas, pedir indicações pros vendedores e pesquisar um pouco o preço na internet. Comprei o que seria o melhor custo benefício pra mim. Se a marca é boa ou não, eu não sei dizer – nem tenho conhecimento o suficiente pra isso! -, mas tem servido o meu propósito que é aprender a tocar.

No primeiros dias, tenho que confessar que mantive a minha distância do ukulele. O medo de ser ruim era muito grande e a minha crítica musical interior já dizia que eu ia falhar miseravelmente nessa missão. Não sei dizer se tô tocando bem ou mal, mas tenho treinado todos o dias desde quarta passada e parece que a coisa toda tá ficando mais fácil.

Peguei duas músicas (uma que a minha amiga me ensinou no dia que a gente foi no Centro Cultural, e uma outra que achei na internet – músicas fáceis para ukulele pesquisar) e tenho praticado uns 4 acordes diferentes. O mais difícil, até agora, é com certeza o strumming pattern, o dedilhar das cordas, que pra mim parece uma missão impossível. Mas tudo bem.

Duas coisas que tem me ajudado nisso: o YouTube, com milhares de tutoriais incríveis e aulas de grátis (recomendo o canal do The Ukelele Teacher, é em inglês, mas é incrível!) e um aplicativo que descobri tem uns dois dias, chamado Yousician e que tem aulas pra vários instrumentos, inclusive o uke.

Com tudo isso, queria dizer que aprendi duas coisas importantíssimas com o Théo, mesmo a gente se conhecendo tem tão pouco tempo:

  1. Aquela coisa de ‘quem quer arranja um jeito, quem não quer uma desculpa’ tem o seu fundo de verdade (afinal, eu só fui atrás quando quis aprender a tocar um instrumento de verdade)
  2. A gente só consegue ficar bom em alguma coisa depois de praticar muito mesmo.

Eu sei que já falei um bocado sobre essa coisa de a gente só virar uma Céline Dion se treinar o tanto que ela treina diariamente, mas é só colocando a mão na massa e tirando da frente o nosso medo a respeito de qualquer coisa que a gente percebe o quanto isso é verdade. Ninguém vira o Iz Kamakawiwo’ole (saúde!) do dia pra noite.

Enquanto isso, eu vou continuar treinando Sorry até os dedos sangrarem e eu não aguentar mais tocar esses três acordes que eu já sei de cor (detesto sair do Am pro G, gente, é uma desgraça).

Você já aprendeu a tocar algum instrumento? Tem alguma dica?

 

Você toca algum instrumento? Tem alguma dica pra me quem tá começando?

TAG: Minha vida é um dorama

Os doramas estão, aos poucos, dominando a minha vida (a ponto de eu não ver série norte-americana tem uns bons seis meses), e não é nenhuma surpresa pra ninguém que surgiu até uma TAG sobre o assunto para postar por aqui.

minha-vida-é-um-dorama

Eu tava conversando com a Clara, do Leuxclair, outro dia, e a gente começou a jogar ideias de perguntas para responder e eu me empolguei DEMAIS com a ideia porque: 1) raramente me animo com TAGs e 2) nunca na vida tinha criado uma TAG do zero. Ou seja, animação em dobro. Se você não tem ideia do que é um dorama é só clicar aqui, porque eu já escrevi a rodo disso do blog (e pretendo escrever mais, aguentem). No mais, vamos à TAG!

1.Qual heroína de dorama você seria?

Oh Yeon Joo, de W. O dorama nem acabou (cêis tão acompanhando o meu drama – literal – por causa disso no Twitter?), mas ela já é a melhor protagonista de todas pra mim. Ela é inocente, divertida e muito, muito, verdadeira. Não tem uma cena dela que não mexa comigo de alguma forma, ela é boa assim! Girl crush total ♥

2.Quem você gostaria que te desse um piggyback ride?

Lee Jong Suk. Não preciso nem pesar duas vezes porque esse homi é maravilhoso e podia me carregar nas costas todos os dias da semana sem precisar de motivo (nas séries isso rola muito quando alguém tá doente ou quando a protagonista tá bêbada hahahaha).

3.Qual closet você gostaria de roubar pra chamar de seu?

O da Chae Young Shin, de Healer, porque é muito parecido com o meu agora! Ela não tem essa coisa muito menininha, é mais moleca e eu fiquei apaixonada com uma camisa xadrez que ela usou na série que até hoje não vi parecida em lugar nenhum. Ajuda, Luciano?

4.Quem seria o seu oppa (aquele boy que cê curte)?

De novo, Lee Jong Suk. PORQUE SIM NÃO ME JULGUEM.

5.Qual o second male lead faria você ficar em dúvida?

Uhhh, essa é difícil, hein? Mas acho que o Choi Young Do, de Heirs. Apenas porque Kim Woo Bin é maravilhoso e eu gosto dessa coisa de ~bad boy~.

6.De qual inimigo você passaria longe?

Pra essa eu tenho duas respostas: primeiro o John Mayer, de The King 2hearts. Tive pesadelos com esse cara porque ele é muito psicopata e manipulador. E chato. E ele faz mágicas. E eu nunca gostei de truques de mágica. *arrepios*

O segundo é o Kwon Jae Hee, de Sensory Couple. Apesar do Namgung Min ser maravilhoso, esse personagem era SINISTRO e eu tinha altos arrepios quando ele fazia as ~maldades~ dele. Me dava um nervoso, esse cara!

7.Quem seria sua melhor amiga?

A Chun Soo Hee, de Doctor Crush! Simplesmente porque ela é muito divertida! Ela é bem doidinha (tipo eu), é dramática (tipo eu) e sabe como sempre estar presente pra quem precisa dela (tipo o que eu tô aprendendo agora!). Então acho que a gente se daria muito bem por questão de afinidade, Bial!

8.Com qual second lead couple você sairia num double date?

Nunca fui de sair em double dates, mas acho que se tivesse mesmo que escolher seria com a Lee Bo Na e o Yoon Chan Young, de Heirs. Pra mim, eles são o melhor casal de doramas, muito fofinhos! Dá vontade de apertar os dois.

9.O que você faria se fosse um chaebol (um herdeiro de conglomerados)?

Boa pergunta. Provavelmente a mesma coisa que eu faço agora. Não consigo pensar em viver numa mansão, comprando roupas de um milhão de reais e esbanjando dinheiro por aí. Mas se tem uma coisa que eu gostaria de fazer com certeza é isso:

Ia passar no caixa eletrônico e sacar uma grana só pra fazer a rapper e MAKE IT RAIN!

10.Se a sua vida fosse um dorama, qual seria?

Provavelmente seria W. Eu tô CHOCADA com o quanto esse drama é bom e como o roteiro tem representado muito coisas que estão passando pela minha cabeça ultimamente. A coisa de questionar a própria existência, de retomar o controle da própria vida, de ficar mais em contato com a verdade sobre quem a gente é… Isso mexe muito comigo e encontrei meio que um consolo pra essas coisas que passam na minha cabeça nesse drama. Ele é incrível. Fora que lá vem ela de novo tem o Jong Suk no papel de protagonista e quem não gostaria de viver num mundo com esse homem, minha gente?

Acho que já deu pra perceber que eu analisei muito os doramas que vi até agora, né? Mas tem muita coisa legal nessas histórias e eu criei um carinho muito grande por elas (especialmente por W, não canso de repetir, já virei papagaio de pirata).

Você já viu algum desses doramas que eu citei? Me conta o que achou?

BEDA2016

A lista incrível de filmes imperdíveis

Tem aqueles filmes que a gente tem vontade de colocar num potinho de tão incríveis e preciosos pra gente. A minha lista cada vez aumenta mais porque é cada filme incrível que é lançado todo ano, que é difícil a gente deixar a lista de preferidos fixa o tempo inteiro.

Ainda assim, eu tenho alguns que são os preferidos de todos os tempos, aqueles que, pra mim, são os melhores do todos e que eu veria mil vezes seguidas se fosse preciso. Como tudo que a gente ama a gente tem que compartilhar, trago aqui a minha lista incrível de filmes imperdíveis!

A lista incrível de filmes imperdíveis

1.Quem Quer Ser Um Milionário

Acho que, se pá, esse é o meu filme favorito da vida. Dirigido pelo (incrível) Danny Boyle, eu gosto de tudo nesse filme. A temática, os atores e, principalmente o formato em que a história é contada. Jamal é apaixonado por Latika desde criança e, entre vidas muito complicadas eles se desencontraram e reencontraram várias vezes. Ele decide ir atrás dela de vez por meio de um programa de variedades (que dá nome ao filme) porque sabe que ela estaria vendo e vai avançando na competição porque sabia todas as respostas por conta da sua história de vida. É incrível, vale a pena demais ver, a trilha sonora é maravilhosa e apenas vejam e morram de amores comigo.

2.Amor Além da Vida

Um dos principais motivos pra eu amar esse filme é muito simples: Robin Williams. Ele era/ainda é o meu ator favorito e acho que vi todos os filmes que ele fez. Esse é incrível porque tem uma temática tão diferente e incrível e mostra como o amor está acima de tudo mesmo, e como qualquer coisa é possível quando estamos de acordo com a nossa meta, na nossa função, sabe? O filme conta a história de um casal que perde os filhos em um acidente de carro e, anos depois, o marido morre do mesmo jeito. Quando ele morre, ele vai para o que ele entende por céu, o mundo de pinturas que a sua esposa criou. A partir daí ele começa uma verdadeira busca por outros mundos como o dele em busca da alma dela, que cometeu suicídio porque não aguentou a vida sem aqueles que ela ama. É de cortar o coração, é lindo e o Robin tá incrível!

3.A Culpa é das Estrelas

VAI TER FILME ADOLESCENTE, SIM! Uns amam, outros odeiam, mas eu fiquei encantada com a adaptação de A Culpa é das Estrelas pro cinema. O filme me fez chorar litros? Fez, sim senhor, mas também me deu uma sensação muito incrível. Achei que as atuações estão ótimas e transmitem muito bem o que a história quer passar e o Ansel Elgort é o Gus sem tirar nem por. Um filme daqueles pra gente pensar muito sobre o quanto a gente se esconde atrás das coisas pra não amar de verdade, sabe?

4.Como Treinar Seu Dragão

Sim, eu sou a louca dos filmes da Disney, mas Como Treinar Seu Dragão é a minha animação favorita. Eu amo essa história porque ela fala muito sobre você querer ver o outro além dos seus julgamentos e isso é muito incrível. Lá na aldeia do Soluço, todo mundo luta e mata dragões porque eles acreditam que são animais cruéis e selvagens, mas não tem nada disso. As pessoas só nunca tiveram a coragem e a vontade de chegar mais perto para ver o que, de fato, eles queriam da vida. Todo mundo sente medo, é uma questão da gente querer ver além dele pra entender o outro. Fora que a trilha sonora desse filme é maravilhosa (é do John Powell, que é um compositor fenomenal) e tá sempre nas minhas playlists!

5.Romeo + Juliet

Primeiro motivo para amar esse filme: Shakespeare. Segundo motivo para amar esse filme: Leonardo DiCaprio. Terceiro motivo para amar esse filme: Baz Luhrmann. Eu já vi todas as adaptações para o cinema de Romeo e Julieta, a minha peça predileta de Shakespeare, mas essa continua sendo a minha favorita. Eu amo o Baz Luhrmann e o estilo de direção dele e a mistura do mundo contemporâneo com uma peça de séculos atrás (em texto original) é simplesmente incrível. Foram que a combinação Leonardo DiCaprio + Claire Danes é muito amor!

6.Titanic

Sim, sim, temos Leonardo DiCaprio duas vezes nessa lista, mas fazer o quê se ele foi o meu crush da adolescência? Não me canso de ver Titanic, gente, pode ser o filme mais longo da história, mas é simplesmente incrível. É uma história de salvação. E não de salvação no estilo ‘o-navio-naufragou-e-eu-tirei-você-da-água’. É uma salvação num âmbito mais profundo. O Jack salvou a Rose do cárcere em que ela vivia. Ele mostrou pra ela o que é amor de verdade, ele fez com que ela se sentisse amada e isso a libertou de tudo. Esse filme, gente… ele é só amor.

Os filmes Harry Potter não entraram nessa lista porque eles têm uma lista só deles e um espaço muito especial no meu coração. Eu poderia colocar mais quarenta filmes aqui, mas esses 6 são os que eu mais tenho carinho e acho que todo mundo deveria ver. Mais pra frente, quem sabe, eu não faço uma listona com todos os filmes que eu acho legais da gente assistir em algum momento da vida.

Me conta um filme que você acha imperdível?

BEDA2016

‘W’ é o dorama que todo mundo precisa ver

Eu já desisti de resistir à essa minha obsessão por doramas, principalmente porque nas últimas duas semanas eu tô completamente apaixonada pelo novo drama do Lee Jong Suk: W. Comecei a ver por ele mesmo, afinal, mozão da minha vida, mas continuei porque a história é simplesmente incrível e eu sinto que é o tipo de coisa que todo mundo precisa ver pelo menos uma vez na vida.

‘W’ é o dorama que todo mundo precisa ver

O drama conta a história de Kang Chul (Jong Suk), um milionário e ex-atleta olímpico que teve uma vida bem conturbada: a sua família inteira foi assassinada em circunstâncias misteriosas e ele foi julgado como o culpado pelo crime.

Ao mesmo tempo conhecemos Oh Yeon Joo. Ela é uma médica em formação, filha de um grande cartunista coreano, que tem trabalhado há mais de dez anos em um webtoon (como uma história em quadrinhos online – é um estilo bem popular na Coréia) chamado W cujo personagem principal é… Kang Chul.

Um dia, o pai da Yeon Joo desaparece e ela vai até o estúdio que ele trabalha para tentar entender o que aconteceu. Enquanto está por lá, ela é puxada por alguém pra um lugar que ela depois descobre ser o mundo de W. Ela salva o Kang Chul da morte antes de voltar para o ‘mundo real’ e entender o que rolou de fato.

Não sei se eu consegui passar o quão incrível a história é só por conta desse plot todo, mas o ponto que eu quero chegar é: o Kang Chul percebe que rolou alguma coisa muito insana na vida dele e que essa mulher, a Yeon Joo, é a chave para ele entender a sua existência.

A chave. Da. Sua. Existência.

Você pode pensar que isso é muito romântico e que, ok, eles vão se apaixonar e tudo mais (100% de chance disso rolar mesmo), mas eu entendi tudo isso como algo muito maior.

Quantas vezes você se pergunta sobre a sua própria existência? Você já parou para entender qual a razão de você estar no mundo? Até cheguei a comentar no Twitter que tem horas que a gente simplesmente esquece de lembrar que existe, que tem uma vida comandando cada um dos nossos movimentos e que isso é tão mais importante que qualquer picuinha do dia a dia… A gente se perde com essas distrações mesmo, sabe?

O que eu mais amei nesse dorama, além de ser estrelado pelo meu ator coreano preferido (sim, sou dessas), é justamente isso: esse questionamento. O Chul precisa saber porque ele existe e porque a vida dele é como é e a Yeon Joo é o caminho pra isso.

Até agora, já foram liberados 4 episódios da série e posso dizer que, para mim, ela já ganhou o título de melhor dorama do ano. Independentemente de como terminar ou de como o a história vai se desenrolar daqui para frente, eu sinto que ela já valeu por causa disso. Se ela fez uma única pessoa pensar sobre qual o motivo da sua existência, então tudo valeu a pena.

No mais, a série tem uma cenas incríveis e uns momentos cômicos que são maravilhosos. Ri muito com a Yeon Joo (Han Hyo Joo) fazendo tudo o que ela consegue pra tentar voltar pro mundo dela. Essa atriz é incrível e fiquei maravilhada com como ela consegue sair de uma cena ultra cômica pra uma mais ~tensa~. Fora que ela com o Jong Suk são um casal maravilhoso. Shippando desde já (no drama, né, porque na vida real nós estamos destinados a vivermos juntos e felizes #sonhomeu).

Para quem quiser assistir, tem como ver no Viki e no My Asian Tv e se eu pudesse dar um conselho pra vocês é: PELO AMOR DE DADÁ VEJAM ESSE DRAMA JÁ. Pronto. Falei. Assistam e depois me contem se vocês também estão obcecadas por essa história e assistindo no loop os episódios que já foram liberados nas madrugadas do final de semana (talvez eu tenha feito isso. Talvez. Só talvez).

Você já pensou alguma vez na sua razão de existir?

BEDA2016

10 doramas para quem quer adotar o vício

Vamos deixar uma coisa bem clara aqui: eu estou viciada em doramas. Não é novidade nenhuma, eu não tenho vergonha disso e vou continuar binge watching dramas coreanos até cansar. Ok? Ok.

Dito isso, quem acompanha o blog já sabe que eu tenho um carinho especial por alguns dramas, mas achei que seria legal juntas os meus 5 preferidos aqui para fazer uma lista de ‘Por onde começar’, caso você, um dia, também queira o fim da sua vida social seja picado por esse bichinho viciante e que tira o meu sono.

https://67.media.tumblr.com/a96e0557097a23d8d9859e60db12a4d1/tumblr_n8ml1aJWpE1ta322ko1_r2_400.gif

Apesar de amar muito os doramas, eu dificilmente assisto algum só por assistir. Pra mim, a história tem que ter algum propósito, alguma coisa que eu possa tirar dali, se não, não tem graça. Não vale a pena, entende? Então, vamos à lista:

1.Heirs

O meu dorama preferido de todos, com certeza. Já assisti Heirs umas 3 vezes, pelo menos. Amo o Lee Min Ho e a Park Shin Hye e virei fã do Kim Woo Bin por causa dessa série. O dorama conta a história do herdeiro de uma grande corporação, Kim Tan, que se apaixona pela filha da emprega, Cha Eun Sang. Toda a trama gira em torno da relação dos dois e de como esse mundo corporativo pode ser pesado. A história pode ser bem básica e simples, mas o que me pegou de jeito foi um detalhe: a devoção.

O Kim Tan é totalmente devoto da Cha Eun Sang. Ele faz tudo por ela, mesmo ela resistindo, mesmo os dois brigando. Isso, pra mim, foi muito forte. Digam o que quiser da série, mas uma das coisas que eu, mais é como ele sempre teve na cabeça uma única certeza: independente de tudo, ele ia ficar com ela.

2.Pinocchio

Pinocchio é tão preferida quanto Heris, acho que essas duas séries estão empatadas em primeiro lugar no meu coração. O Lee Jong Suk é meu marido ator coreano favorito e ele, nessa série, tá incrível. Esse dorama já ganhou um post especial só pra ele e quem leu sabe que o que eu mais gosto em Pinocchio é como a Choi In Ha, que tem uma síndrome que não permite que ela minta, nunca faz nada que vai contra o que ela acredita.

Pensar em ser honesto 100% do tempo é algo muito assustador no mundo. Dá medo mesmo. Mas ela acaba vivendo assim por ‘culpa’ de uma síndrome que ela não controla. (será mesmo?) Na real, ela sabe que não tem a capacidade de mentir então nem tenta. Pra ela, vale mais a pena ser honesta e ficar bem com ela mesma.

E esse drama tem o melhor beijo de todos. #prontofalei

3.My Love From Another Star

Gente. Essa. Série. É. Maravilhosa. Um daqueles dramas que eu vi em muito menos tempo do que deveria pra 21 episódios de uma hora cada. O Do Min Joon é um extraterrestre, um ser de outro planeta, que fica preso na Terra depois de se envolver numa série de incidentes. Ele é uma mente evoluída e vê, no começo, esse planeta como uma brincadeira. Acontece que, como ele fica preso aqui, ele se adapta, mas não se envolve com nada. Ele mantém uma distância porque nada nesse mundo é verdadeiro pra ele, nada tem significado.

Até que ele conhece a Cheon Song Yi e a história muda. Ele entra em contato com um tipo de sentimento que ele nunca tinha visto antes e isso faz com eu ele tenha que mudar o seu comportamento pra se adaptar (de novo) a essa nova dinâmica. É uma história linda, um dorama incrível, com atores maravilhosos. Apenas assistam. Sério. Assistam. Agora.

Chorei de rir com essa cena, gente.

4.Cheer Up

Assim como Pinocchio, Cheer Up também já ganhou um post. Não tenho muito a dizer aqui a não ser que esse é um dos dramas mais sensíveis e bonitos que eu já vi. Ele é curtinho, tem só 12 episódios, e tem uma pegada mais teen – pense em Malhação. Mas fala de temas muito pesados, como o suicídio, o abuso e o primeiro amor de uma forma muito delicada e linda. Fora que tem o Ji Soo que, meldels, é uma gracinha e eu tenho certeza que vai virar o próximo galã coreano.

5.Doctor Stranger

Lee Jong Suk, seu lindo! Comecei a ver esse drama simplesmente por causa dele e, apesar da série não ser uma das minhas preferidas (romance de menos e intriga demais), ele é maravilhoso por um motivo: o próprio Lee Jong Suk! Na série, ele faz o papel de um médico que nasceu na Coréia do Sul, mas foi criado na Coreia do Norte por conta de um plano do Primeiro Ministro e do diretor de um hospital para sumirem com um processo por negligência médica.

Levando em conta o pouco que a gente sabe sobre a Coreia do Norte, dá pra imaginar que a vida dele lá não foi fácil, mas ele fez uma promessa pro pai: nunca esquecer que ele era um médico em primeiro lugar. E isso foi o que mais me tocou nesse dorama. O Park Hoon, personagem do Jong Suk, tem uma meta muito clara: ele vai ajudar as pessoas a qualquer custo. E nada entra no caminho dessa meta. Nem mesmo o amor da vida dele. Isso é muito incrível, porque é uma meta muito verdadeira que ele assumiu, uma coisa de coração mesmo. Uma meta de cuidado com o próximo. E ele não titubeia. Mesmo. É bem lindo de ver.

Esse é um mundo que se você entrar não tem mais como sair vai amar. É muito gostoso também aprender tanto sobre uma cultura tão diferente da nossa e ver que, no fundo, no fundo, tá todo mundo atrás da mesma coisa.

‘Mas, Maki, pera. Você falou que são 10 doramas, nas no post tem só cinco. Que que tá conte ceno?’ Calma, jovem gafanhoto. Eu e a Clara, do Leuxclair, fizemos uma postagem coletiva. Então, se você quer ver mais 5 doramas pra te iniciar nessa arte maravilhosa, é só CLICAR AQUI, ok?

Pra acabar, toma mais Lee Jong Suk, que tá pouco:

Você já viu algum drama da lista? Tem algum pra indicar? Me conta!