por que o kpop me deixa tão feliz?

eu não consigo pensar num dia sequer em que não ouvi música. acho que foram poucas as ocasiões em que eu topava ficar longe dos fones de ouvido e das minhas playlists intermináveis. tem mais ou menos um ano que o kpop começou a entrar na minha rotina também, e não tenho dúvidas de que essas músicas são as que eu mais escuto atualmente.

eu não dava nada para kpop e confesso que achava até meio brega (quer dizer, pra que esse tanto de menino dançando junto, gente?), mas já que eu decidi me afundar de vez no mundo dos dramas, ficou difícil ignorar as trilhas sonoras incríveis e não pesquisar mais sobre os grupos. eu comecei com os mais clássicos, tipo BIGBANG, e fui conhecendo alguns outros aos pouquinhos. preciso deixar registrado aqui que a Gabbs é a grande ”’culpada”‘ por me ~influenciar digitalmente~ a acompanhar uns 10 grupos diferentes, descobrir os meus preferidos e ter umas cinco playlists no Spotify que eu escuto diariamente.

eu tinha muito essa mania de ouvir músicas tristes (beijo, Adele!) o dia inteiro e é óbvio que isso era só um reflexo do que eu sentia. hoje, muita coisa mudou e o que eu mais quero é mostrar o tempo inteiro como tô feliz e como os outros podem se sentir assim também. a música é só mais uma forma de expressar isso, e o kpop me deixa muito feliz. vou explicar porquê:

1.as músicas são muito animadas

é claro que também tem as baladas, as músicas românticas e os cantores mais low key (como em qualquer lugar do mundo), que fazem músicas profundas e emocionantes. mas o que eu mais curto no kpop são as canções super animadas e que me dão vontade de dançar na cadeira (normalmente é o que eu faço). te desafio a ouvir Hola Hola, do KARD, e não sentir vontade de fazer uma mistura de dança latina com street.

2.os grupos são incríveis

eu sei que tem muita sujeira no mundo da música coreana, tanto quanto na música ocidental. é difícil saber tudo o que acontece com essas pessoas e o quanto que elas são exploradas sem acompanhar de perto cada uma delas, mas eu sei que isso existe. ainda assim, eu fico com o coração muito quentinho quando percebo o quanto alguns grupos são unidos e o quanto eles se divertem com o que fazem. acho que Winner é a maior prova disso (e um dos meus grupos preferidos). se você assistir às últimas apresentações deles, dá para ver o quanto eles gostam do que fazem, como se divertem no palco e fazem uma música que eles amam. isso me deixa muito feliz também.

3.a língua muda, mas o amor é o mesmo

a gente sempre acha estranho quando vê alguma coisa de uma cultura diferente da nossa, até perceber que, seja em português ou coreano, as pessoas estão sempre atrás da mesma coisa: amor. as músicas falam disso, os grupos sempre expressam o tanto que amam os fãs, e é muito fácil distinguir aqueles que entram nesse ramo porque amam mesmo e sabem que tem alguma coisa para entregar para as pessoas – isso fica óbvio nas interações e apresentações dos grupos. Monsta X é o meu ultimate por causa disso. sou viciada nos vídeos deles, porque, além de muito talentosos, dá pra ver o quanto eles se curtem e curtem os fãs sempre que lançam uma música ou fazem uma live.

apaixonada por esse clipe mistura de verão-com-os-migos e publi hehe

4.dá pra conhecer muita gente legal

e não é só grupo de música não, viu? eu comecei a fazer muitas amizades por causa do kpop (e dos dramas também!), e acho que isso é o mais legal de tudo. compartilhar esse carinho e os surtos pelo comeback dos grupos com as pessoas vira uma forma da gente criar vínculos e fazer parte um das vidas dos outros. o kpop acaba virando uma ferramenta (cêis sabem que eu amo essa palavra, né?) pra gente se relacionar, sabe?

agora, como eu sei que você vai me perguntar, os grupos que eu acompanho de pertinho e que amo demais são (sem ordem de preferência):

  1. MonstaX
  2. Winner
  3. Seventeen
  4. KARD
  5. Blackpink
  6. GOT7
  7. BIGBANG
  8. BTS

e tem também o Jay Park que não é de grupo nenhum (mas era do 2PM) e tem uma fatia do meu coração só pra ele.

você gosta de kpop? quais grupos você acompanha?

banner beda desancorando

the universe’s star e o despertar de um coração

desde que comecei nesse mundo de doramas, eu já vi incontáveis histórias que merecem um espaço aqui. mas acho que uma das que mais me marcou nos últimos meses foi a de um mini-drama chamado The Universe’s Star. eu soube dele pela primeira vez quando a Mari do Lovecode fez uma corrente no Twitter falando sobre os diferentes dramas coreanos que ela gostava, atores favoritos, etc.

The Universe’s Star foi ao ar entre janeiro e fevereiro deste ano, e contou com seis episódios de meia hora cada. conta a história de uma menina que morreu tragicamente em um acidente e se tornou um anjo da morte – ela ajudava a levar as almas que morreram para ‘o outro lado‘. acontece que, mesmo depois de morta, ela é muito fã de um idol coreano chamado Woo Joo (o Suho do EXO), e faz de tudo para evitar que ele morra – porque dizem por aí que ele vai morrer logo e alma dele é uma das mais ‘valiosas‘ para o departamento.

eu não esperava que o drama terminasse como terminou, e nem planejo dar spoilers aqui. mas o que eu posso dizer sobre esse drama é que ele é de uma delicadeza que me deixou meio sem fôlego. sabe, a gente tem tanto medo da morte que esquece de focar na vida e em como é bom usufruir do que a gente já tem. a gente deixa o nosso coração endurecer e esquece que ele tá ali, batendo, esperando só você prestar atenção na vida que flui pelas veias.

the universe's star

a Byul (lindamente interpretada pela Ji Woo) precisou morrer para entender o que era viver de verdade, para lembrar de quem era e aprender a importância de ser fiel ao seu coração. e ela colocou a nova vida dela na linha pra poder aproveitar o que ela mais queria: o amor. ela ama muito e isso, no começo, pode parecer um pouco estranho, no melhor nível stalker.

mas a única diferença dela para as pessoas ‘comuns‘ é que a Byul tem uma visão maior de tudo. ela sabe de coisas que os outros não sabem. e ela usa esse amor para entrar em contato de novo com quem ela é e com a missão que ela tem no mundo. o tempo inteiro, ela pensa em como pode mostrar para o Woo Joo que a vida é boa e que ele merece ser feliz e fazer coisas com o coração quentinho e em paz.

acho que a mensagem que esse drama passa, tão lindamente, é que não tem nada mais bonito do que aceitar a morte como uma próxima fase da vida. é aproveitar cada segundo não como se fosse o último, mas como se fosse o primeiro, e sair de cena sem arrependimentos, sabendo que você fez tudo o que deveria ter feito e que usufruiu de tudo que deveria ser usufruído.

eu chorei muito com o final (novidade) porque foi uma das coisas mais lindas que eu já vi. me emocionei com a interpretação do Suho e da Ji Woo e fiquei meio perdida quando o drama acabou. me lembrei, mais uma vez, de como é importante eu saber o que eu tô fazendo no mundo, para lembrar as pessoas da importância do amor, assim como a Byul fez com o Woo Joo. fora que me deu uma vontade maluca de escrever num pedaço de papel tudo aquilo que eu mais quero fazer e fazer de verdade. comprometimento, sabe?

é uma ótima porta de entrada para quem nunca viu um drama antes – e eu garanto que você vai ficar com o coração quentinho e os olhos cheios de lágrimas ao assistir. é lindo, é tocante, é algo que todo mundo precisa ver pra se lembrar mais uma vez da importância da vida, e como cada momento que a gente tem nessa terrinha é uma maneira de ajudar a lembrar a si mesmo e aos outros de quem somos de verdade. e que isso não é nada além de amor.

quem se interessou, dá para ver no Kingdom Fansubs, com legenda em português.

 

10 músicas que tem animado o meu dia

eu não sei você, mas eu dificilmente trabalho sem música. eu sou vitima muitas vezes do velho ‘a playlist acabou e eu anda tô de fone de ouvido‘, mas a maior parte do meu dia é cheio de música, pausas para fazer coreografias na cadeira e cantos desafinados.

eu confesso também que tenho aquela mania de ouvir a mesma música um milhão de vezes até pegar asco, parar de ouvir e depois de uns meses recomeçar o ciclo. então, acredite quando eu digo que escuto as mesmas canções muitas vezes. ainda assim, eu sempre busco por músicas que vão me animar e me ajudar nessa tarefa louca que é trabalhar como freelancer

música é uma coisa tão mágica, né? alguns acordes juntos te fazem sentir milhares de coisas – de medo a amor – e eu sempre achei isso maravilhoso. tem horas que eu queria viver num musical só pra me comunicar com as pessoas usando músicas (não que eu já não faça isso) e sempre consigo encontrar um aconchego ou um incentivo na música, quando preciso.

por isso, separei algumas que estão em loop nas minhas playlists e que eu espero que animem vocês também:

1.really really, winner

ainda não superei o comeback do Winner. já ouvi essas músicas tantas vezes e em tantas versões diferentes que já sei cantar de cor em coreano (sim, é isso mesmo). a música começa eu já saio dançando na cadeira.

2.power, little mix

o meu girl group preferido do momento. amo Little Mix e todas as músicas que elas fazem (sério, não achei uma que fosse ruim até agora).

3.hard times, paramore

impossível parar de cantar o refrão de Hard Times. sério mesmo.

4.rumor, kard

ainda estou inconsolável que não consegui ver o show do K.A.R.D em São Paulo. mas tudo bem, eles continuam sendo incríveis e essa música segue sendo a preferida.

5.stay stay stay, taylor swift

depois que Taylor Swift entrou para o Spotify, eu ouvi a discografia inteira dela umas cinco vezes. não me orgulho disso, mas a moça sabe fazer música boa. essa é uma das preferidas de todas.

6.baby, astro

sério, olha esse tanto de pessoa FOFA cantando essa música MAIS FOFA AINDA. não dá pra não ficar felizinha depois de ouvir.

7.as if it’s your last, blackpink

Blackpink melhor girl group da Coréia sim ou sim? esse hino, gente ♥ (e a Lisa tá maravilhosa)

8.sua cara, anitta e pabllo vittar

essa música vai entrar aqui de novo porque ela é incrível e eu não me canso de enaltecer.

9.dance dance, day6

pensa na trilha sonora perfeita pra viagem de feriado com os amigos. ou aquela montagem de momentos felizes que vocês passaram juntos. taí a música.

10.thunder, imagine dragon

Imagine Dragons segue sendo a minha segunda banda preferida de todos os tempos (a primeira sempre foi e sempre será McFly – mesmo eles não tomando vergonha na cara pra lançar o álbum 6) e um dos shows mais incríveis que eu já vi ao vivo.

deu pra ver que é um gosto musical bem eclético, né? o kpop segue ganhando como estilo musical que eu mais escuto no momento (quem diria), mas tem de tudo por aí. assim que é legal, mil músicas diferentes, todas deixando a gente animada e motivada pra fazer o que precisa com carinho.

me conta o que você tem escutado ultimamente? 

k-pop 101

depois que eu comecei a ver doramas, foi meio que inevitável me apaixonar também por k-pop. eu fui bem resistente à ideia de começar a ouvir música em coreano, sempre me achei muito exigente quando o assunto é gosto musical (mas dava um migué e ouvia sertanejo vez ou outra), e ficava meio assim de ouvir qualquer coisa em uma língua que eu não entendia.

o que, obviamente, não fazia nenhum sentido, já que eu não tinha problema algum em assistir horas e horas de séries em coreano. então, até por conta das trilhas sonoras dos doramas, eu acabei me abrindo um pouquinho para esse mundo e caí de cabeça tanto quanto com as próprias novelas.

hoje em dia, k-pop é uma das coisas que eu mais escuto. já tenho os meus grupos preferidos (Monsta X e GOT7 for life) e músicas que eu recorro sempre que preciso dar aquela animada no dia. aliás, k-pop é a melhor coisa pra quem precisa mudar de ideia e ficar com o dia mais leve, já que é cheio de músicas animadas e alto astral. é impossível você não querer sair dançando pela sala. a Prih até fez um post incrível falando justamente sobre como essas músicas a ajudaram numa fase complicada. eu assino embaixo!

depois de ouvir milhares e milhares de músicas, pirar com os comebacks, chorar por não ter ido no show do BTS no Brasil (sou dessas) e ainda ficar maluca caçando as músicas no Spotify (não acredito que não tem GOT7 lá, by the way), eu montei uma playlist para quem quiser se aventurar nesse mundinho também. eu não sou muito fã de girl groups, prefiro mais os grupos masculinos mesmo (tudo a ver com as coreografias incríveis e eu não engulo muito essa coisa de menininha super fofinha que eles vendem), mas ainda assim tentei variar ao máximo para vocês terem um ideia do que tem por aí.

foi uma playlist pensada em deixar o seu dia mais gostosinho de um jeito diferente (diferente bom, claro!)

você já ouviu k-pop antes? é fã também?

porque A Bela e a Fera virou o meu filme preferido da vida

A Bela e a Fera sempre foi uma das minhas animações favoritas da Disney. eu me identificava muito com a Bela porque era a louca dos livros e nunca achei que me ‘encaixava’ – sabe essa coisa de achar que você é diferente demais e que ninguém te entende? então.

eu sempre fui muito apaixonada pelos filmes da Disney, mas A Bela e a Fera era aquele para o qual eu sempre voltava quando precisava de uma afago. eu não só gosto muito da história, como da simbologia da rosa. no filme, ela é vista meio que como um mau agouro, cada pétala que cai é um sinal de que o tempo está acabando. mas pra mim ela é um presságio de esperança. ainda tem mais uma pétala, mais uma chance…. se essa rosa está aí é porque tem uma saída, a gente só precisa olhar de novo e tentar mais uma vez.

daí veio a versão live-action e ao mesmo tempo que eu fiquei muito empolgada, eu fiquei meio com um pé atrás. e se estragassem a minha história preferida? mas com um elenco tão incrível, eu achei muito difícil que isso acontecesse de verdade. veio a estreia e eu sai do cinema em prantos – o filme é uma das coisas mais lindas que eu já vi.

sabe quando eu falo de fazer as coisas com carinho? esse filme é cheio de carinho. cada detalhe, cada música nova, cada piada, cada adaptação das músicas originais…. só de ver o castelo da Fera logo no comecinho já me deu uma emoção que eu não consegui segurar… tem uma sensação envolvida que me conta o tanto de amor que tinha nesse projeto.

depois dessa experiência, A Bela e a Fera virou, mais uma vez, o meu filme preferido de todos os tempos. tanto a versão nova quanto a animação, porque ambas me mostram o poder do amor.

é por isso que eu tatuei a rosa no braço, com a redoma e tudo mais. ela me lembra todos os dias que a resposta para todas as minhas dúvidas está no amor. e é atrás disso que eu vou. às vezes, a gente tropeça, cai no meio do caminho, acha que tá indo pro lado errado… as dúvidas e a desconfiança fazem parte do processo (apesar de não precisarem), mas a gente ajusta a rota conforme vai andando. tipo a Bela pensando de novo antes de deixar a Fera na neve depois do ataque dos lobos.

esse filme, pra mim, foi a maior prova de que é possível fazer as coisas com muito carinho, com amor, e passar uma emoção que a gente precisa sentir – é aquela coisa gostosa que não sabe explicar muito bem, mas que dá um quentinho no coração e faz a gente pensar que o mundo tem salvação (ele tem mesmo).

no mais: fiquei encantada com a Emma Watson cantando não por cona de potência vocal, mas porque ela foi muito honesta no talento dela para a música, cantou o tanto que podia, sem exageros e ficou perfeito. Josh Gad merece ser ovacionado de pé pelo papel de LeFou (um dos melhores personagens do filme inteiro) e a mesma coisa vale para o Luke Evans no papel de Gaston. Dan Stevens apareceu pouquíssimo como ele mesmo, mas ganhou meu coração mesmo assim.

outra coisa que eu simplesmente amei nesse filme é como ele dá um contexto histórico muito maior e explora mais a trama… até a Feiticeira aparece mais vezes no filme do que na animação.

enfim, é maravilhoso e se vocês puderem, por favor, assistam de coração aberto. eu garanto que você não vai sair do cinema decepcionada, mas sim cheia de amor.

você já viu A Bela e a Fera? me conta o que achou?