15 coisas que você precisa dizer para as pessoas

eu vou contar um segredo pra vocês: por muito tempo, na minha vida, eu achei que não tinha amigos. claro que a ideia que eu tinha de ‘amigos‘ na cabeça era aquela da menina super popular da escola, que tava sempre cercada de gente, ia em mil festas, fazia mil rolês no shopping, etc.

15 coisas que você precisa dizer para as pessoas

na vida real eu não tinha nada disso. sempre tive um círculo de amigas muito querido, mas limitado. e a verdade é que eu tinha muito medo de sair por aí fazendo novas amizades e coisas diferentes. era o tal medo de nunca ser aceita, de estar sempre ‘devendo‘ pra alguém, de nunca ser boa o suficiente.

isso tem mudado aos poucos, e eu percebi, cada vez mais, como eu mesma estava me privando de entrar em contato com pessoas tão incríveis e de mostrar pros outros que eu sou incrível também. é o tal dar e receber, sabe? fui lembrada de novo disso recentemente por um grupo de amigas maravilhosas (Duds, Babee, Celle, Nina – ♥) e a alegria e gratidão que eu senti por elas (e por tantas outras pessoas que tem feito parte dessa minha jornada) foi tão grande, que eu precisei parar para escrever um post sobre isso, preciso falar pra essas pessoas tudo o que tá martelando nesse meu coraçãozinho.

quem sabe você não usa esse post como inspiração para falar pra quem tá perto de você tudo isso que a gente acha que não pode mais (porque é ~adolescente~, ~adulto~, ~responsável~, ~sério~ e mil outras coisas sem sentido), mas que sente toda vez que alguém querido te lembra de quem você é:

  1. tá tudo bem ♥
  2. eu acredito em você
  3. eu te amo
  4. chega aí, tô colocando o DVD de Titanic (uma verdadeira declaração de amor)
  5. você não tá sozinha
  6. a água do chá tá esquentando (mais uma declaração de amor verdadeiro)
  7. você consegue
  8. você é linda
  9. seu sorriso ilumina essa cidade toda
  10. toma aqui uma flor (complemente com ‘pra outra flor’ para o efeito fofo/brega completo)
  11. confia em mim
  12. eu te admiro
  13. você é muito forte
  14. eu fiz um bolo (toma um pedaço)
  15. quer um abraço?

sabe quando eu digo que a gente fica muito preocupada com as nossas próprias coisas e esquece de olhar pro outro? então, como a gente pode acreditar que se comunica, de fato, se não lembra de olhar pra fora de verdade, de falar as coisas mais básicas pra quem precisa ouvir? (e isso inclui você mesma).

eu acredito muito que a gente tem salvação, mesmo com tanta desgraça aparecendo na televisão. mas a gente tem que começar a mudança, entende? é tipo quando o gandhi fala pra gente ser a mudança que quer ver no mundo. imagina, que louco, se todo mundo respondesse ao ódio com amor? 

O que você gostaria de dizer pras pessoa que ama? (ps: vai lá e fala!)

5 hábitos que eu amo fazer de manhã

Sabe quando a gente acorda logo na manhã de segunda já achando que a semana podia acabar? Tipo, parece que a manhã é a pior parte do dia, e que é uma dificuldade sem fim sair da cama de bom humor. Mas eu começo o meu dia às 6h e se eu não der um jeito de lembrar do meu propósito e começar a rotina de uma forma legal, eu vou passar o resto da semana irritada.

5 hábitos que eu amo fazer de manhã

Sim, essa coisa de começar o dia bem é responsabilidade única e exclusivamente minha (e sua também) e eu prefiro fazer coisas gostosinhas logo cedinho pra não ficar mortinha da silva o resto do dia. Tem horas que o cansaço e sono batem forte por uma questão de rotina maluca, mas isso jamais vai ser responsável pelo meu mau humor (na verdade, a coisa mais rara do mundo é eu acordar de mau humor hoje em dia). Então, eu adotei alguns hábitos pra fazer logo de manhã que tem me ajudado muito com isso.

1.Acordar uma hora mais cedo

Eu sei que você vai achar que é loucura acordar às 6h sendo que eu tenho que começar a trabalhar às 7h e, acima de tudo, eu trabalho de casa. Mas acordar uma hora antes tem sido essencial pra eu acordar de verdade e começar a trabalhar bem. Eu, pelo menos, não fico com aquela sensação horrível de que não sei o que tô fazendo quando sento no computador.

2.Tomar banho depois de acordar

Se tem uma coisa que eu amo nessa vida é tomar banho de manhã. Adotei isso quando tava no colégio e nunca mais larguei o hábito. Agora que eu trabalho de casa, isso é bom porque me dá logo aquela sensação de ‘oi, é hora de se arrumar e ir pro trabalho’ e me mantém numa rotina, sabe? Fora que jogar uma água na cara (e no corpo) é a melhor coisa pra acordar mesmo e não ficar andando por aí que nem zumbi.

3. Tomar café da manhã

Apenas a melhor refeição e meu momento preferido do dia. É uma das poucas horas em que eu consigo sentar na mesa pra comer direitinho e com calma (infelizmente sofro desse mal chamado ‘almoçar na frente do computador’). Então é quando eu faço a comida tranquila, sento na mesa e tomo meu chá olhando pro nada e só deixando o corpo despertar. É aquela hora do dia que eu me deixo aproveitar a refeição mesmo. Fora que o café da manhã tem as melhores comidas, apenas, e eu queria poder repetir essa refeição o tempo inteiro.

4.Deliciar uma xícara de chá quentinha

Chá é tipo o abraço que eu dou em mim mesma todas as manhãs. Independentemente do clima lá fora, eu sempre vou tomar uma xícara de chá só pelo carinho. É quentinho, é gostosinho e é tipo a minha parte preferida das manhãs. Até já falei quais são os meus chás preferidos aqui, se você quiser adotar essa prática (recomendo). Como eu não tenho o costume de comer e beber ao mesmo tempo, eu faço o chá e deixo ele quietinho uns minutinhos enquanto eu como. Daí levo a xícara comigo pra mesa de trabalho e começo o dia tomando o cházinho e escrevendo no meu BuJo. Falando nisso…

5.Escrever no BuJo

Gosto de deixar pra montar o meu dia logo cedo mesmo, e antes de fazer qualquer coisa, eu tiro 10 minutos pra analisar, escrever e completar as tarefas no meu bullet journal. É tipo a prova definitiva de que o dia começou e eu já coloco em mente as prioridades que tenho pro dia e como posso montar as coisas de um jeito que fique bonitinho, tranquilo e que faça tudo correr bem. Costuma funcionar, viu?

Dá pra entender porque eu amo as manhãs? É a melhor parte do dia, gente, e uma das poucas horas que eu paro para prestar bem atenção em mim mesma. E isso é tão importante, sabe? É aquele momento em que olho pras minhas prioridades, lembro e reafirmo o meu propósito na minha cabeça pra ele não sair divagando por aí. Não tem como dar ruim assim.

Me conta o que você gosta de fazer de manhã? (não vale ‘dormir’!)

30 coisas que a gente acha que não merece

Com o tempo, eu percebi que existem muitas coisas nessa vida que a gente se priva de ter. Sabe? São coisas pequenas (ou muito grandes) que a gente evitar ter ou conseguir (se é que essas coisas se consegue) porque a gente acha que não merece ter.

coisas-que-voce-merece

É tipo quando alguém te oferece um presente e você fala ‘Imagina, não precisava!’, como se fosse educação. Mas na verdade é só uma forma meio sem graça de dizer que você acredita que não merece o presente tanto assim, por mais que você queira. A questão não é você receber o presente ou o que quer que seja, mas o que você sente quando isso acontece, sabe?

Sei lá, eu ainda tô começando a entender porque a gente faz essas coisas, porque acha que não é merecedor de nada, mas enquanto eu ainda não entendo a questão a fundo (e acho a solução pra isso), eu pensei em um monte de coisas que gente merece, sim, mas se priva de ter toda vez:

  1. Um sorriso sincero
  2. Um carinho no cabelo
  3. Uma xícara de chá quentinha
  4. Um abraço de urso
  5. Uma cabeça no ombro
  6. Chorar de tanto rir
  7. Um beijo apaixonado no meio da rua
  8. Pagar mico no meio da rua
  9. Pedir desculpas, de coração
  10. Chorar de emoção em comercial de margarina (na frente dos outros)
  11. Chorar de emoção. Ponto.
  12. Deitar no colo de alguém no parque
  13. Ter um dia inteiro feliz
  14. Tirar uma foto clichê
  15. Usar uma roupa bonita
  16. Almoçar comida de verdade na rua (e não aqueles lanches trash porque são ‘mais baratos’)
  17. Ir de Uber ao invés de pegar 3 ônibus praquele evento legal
  18. Comprar uma roupa bonita
  19. Usar um tênis novo ao invés daquele caindo aos pedaços
  20. Passar hidratante no corpo todo dia
  21. Comer mais um brigadeiro
  22. Pedir pra passar o dia junto vendo séries
  23. Pedir pra passar o dia junto. Ponto.
  24. Cuidar do cabelo com carinho (guilty as charged)
  25. Cuidar de qualquer coisa com carinho
  26. Carinho de qualquer tipo, vindo de qualquer lugar.
  27. Amor de qualquer tipo, vindo de qualquer lugar
  28. Usar um pijama de flanela gostosinho no inverno
  29. Não ter uma opinião sobre tudo
  30. Ser feliz

Pode ser que você tenha lido algumas coisas dessa lista e falado ‘Quê? Como assim eu não mereço usar um pijama de flanela gostosinho no inverno?’, mas a questão é tentar olhar além disso. O quanto você se permite usar roupas gostosinhas e confortáveis, daquelas que te fazem um afago no coração? O quanto você usa o que tem no armário só porque tá ali, é mais prático e ‘eu tô em casa mesmo, qualquer toupa tá bom’.

A gente se priva de muitas coisas, principalmente de amor. Tem amor em tudo, em todo lugar. A gente só não tá olhando direito, sabe? Só não tá sabendo onde encontrar. Mas acho que é hora da gente olhar de novo. Não é?

O que você acha que não merece? Topa mudar de ideia sobre isso?

3 coisas que eu aprendi gostando de cultura coreana

Se você acompanha o blog por um mínimo de tempo, já deve ter sacado que eu gosto – muito – de cultura coreana (e oriental no geral). É assim desde que eu sou novinha, eu não sei o que foi que aconteceu que eu criei quase que uma reverência por essas culturas (começou com a japonesa e o meu amor por mangás).

3 coisas que eu aprendi gostando de cultura coreana

Mas nem sempre foi assim, eu nem sempre fui aberta sobre isso. Quando a gente é criança tudo parece bonitinho, tudo é legal, tudo é ok. Mas aí a gente cresce, entra na tal da aborrescência e as coisas começam a complicar. Por algum motivo, nem tudo é ok, nem tudo é legal e você sente a necessidade de esconder algumas coisas dos outros. Tipo, ninguém precisa saber que você curte filme de terror indiano, sabe?

Eu fiz muito isso. Reprimi muito as coisas que eu gostava porque as pessoas achavam ‘estranho’ eu gostar tanto de videogames, de mangás, de animes, de Harry Potter (!). Eu evitava falar do assunto com as pessoas e recorria à internet pra meio que suprir essa falta: era ali que eu encontrava pessoas como eu. E vida que segue.

Mas tem pelo menos um ano que eu tô aprendendo que não vale a pena a gente reprimir quem a gente é só pra agradar os outros. Claro, isso é num nível muito mais profundo, mas conforme a gente vai se desprendendo dessas amarras, fica mais fácil a gente gostar das coisas e ficar em paz com quem a gente é de verdade, sabe. Eu voltei a curtir abertamente as coisas que eu sempre gostei: HP, mangás, animes e, mais recentemente, doramas e Kpop (que virou um verdadeiro amor na minha vida). E tudo isso me ensinou 3 coisas muito importantes:

1.Ninguém te julga tanto quanto você mesma

A gente acredita que as pessoas vão achar muito estranho a gente gostar de qualquer coisa, que elas vão julgar e condenar, que elas vão se afastar da gente por causa disso. Mas, sabe, nada é pior do que o nosso próprio julgamento sobre as coisas. Às vezes, a pessoa até acha legal você se interessar tanto por cultura coreana, mas você fica tão envergonhada por não achar isso ‘normal’ que cria todo um climão em cima do assunto. Eu já fiz muito isso. E, gente, acreditem que é a pior coisa. Não vale a pena, não. Apenas pare de se julgar e de tirar conclusões sobre o que você faz ou gosta, se é ‘aceitável’ ou não. Ninguém se importa tanto com isso quanto você mesma.

2.Compartilhar as coisas é legal

Daí que você encontrou aquele dorama incrível, que tem uma história mara e atores ainda melhores (beijos, W). Você vai deixar de falar sobre o assunto só porque não é uma série norte-americana ultra produzida? Só porque as pessoas podem estranhar, num primeiro momento, você falar que gosta de novelas coreanas? Não! Tudo o que é legal a gente compartilha, independentemente de onde vêm. O mais legal é você dividir com as pessoas uma coisa que você gosta e que te dá aquele quentinho no coração. Seja uma música, um filme, uma série, uma revista, um mangá ou um aplicativo que te ensina hangul de um jeito divertido (aliás, tô buscando indicações – alguém?). O importante é a gente usar tudo como uma ferramenta pra trazer as pessoas pra mais perto de quem elas são de verdade. E nunca se sabe, às vezes, ela descobre que gosta de doramas tanto quanto vocês e, assim, vocês começam um novo relacionamento com base num ponto em comum, entende? Tudo é uma ferramenta.

3.Nunca é tarde para aprender uma coreografia em grupo

Na verdade, nunca é tarde para fazer qualquer coisa, mesmo aquelas que você acha que são ‘bestas’ ou ‘vergonhosas’, como aprender a coreografia de uma música de Kpop (beijos, tô treinando em casa) ou usar roupas super chamativas e coloridas ou ainda aprender uma língua nova só porque você quer entender os diálogos dos filmes que você assiste sem precisar de legenda. A gente nunca sabe as decorrências do que a gente faz, como isso vai afetar a nossa vida ou dos outros que estão próximos de nós. Antes a gente fazer o que gosta sem medo do julgamento alheio (e do nosso próprio – vide o ponto 1 dessa lista) do que passar a vida se reprimindo e criando climão a torto e a direito.

Quanto menos medo a gente sente de ser quem a gente é de verdade, melhor a coisa fica, sabe? É um treino diário, a gente parar de se julgar, aceitar tudo o que aparece pra gente como uma dádiva ao invés de ser uma coisa ruim. E usar tudo como uma ferramenta pra ajudar os outros a ficarem mais perto deles mesmos também. Entende?

Você já teve medo de falar sobre alguma coisa que gosta? Divide aqui comigo?

BEDA2016

Coisas que eu amo (e ninguém imagina)

Uma das coisas que eu aprendi – e muito – no último ano é como a gente simplesmente não pode julgar ninguém. Nem pela aparência, nem pelos gostos e desgostos, nem pela profissão que escolheu na vida, nem pela roupa que decidiu usar naquele dia.

Coisas que eu amo (e ninguém imagina)Foto: Cassio Crow Fotografia

Isso vai muito além dessas coisas que parecem ~superficiais~, mas se a gente tem que quebrar esse ciclo de algum jeito, que seja começando pelo o que parece ser mais fácil e palpável. Que eu deixe de julgar alguém primeiro pelo fato dela não gostar de morango (euzinha) e depois pelas escolhas de vida que ela fez.

Eu sempre achei engraçado essa coisa da gente tentar descobrir o que uma pessoa gosta só de olhar pra ela e essa reação tipo ‘nossa, nunca imaginava’ quando sabe de alguma coisa surpreendente. Eu já contei aqui algumas coisas que ninguém sabia sobre mim, mas acho que é muito válido aumentar essa lista, pra mostrar que a gente nunca conhece alguém de verdade até querer demonstrar um interesse real por ela e tudo bem! Desenvolver esse interesse leva treino e tempo. No meio tempo, a gente usa ferramentas incríveis como um blog só pra ajudar os outros a nos conhecerem melhor.

Então, segue anexo a lista incrível de coisas que ninguém (provavelmente) imagina que eu gosto:

  1. DORAMAS! (tá bom, esse não é tão segredo assim ♥)
  2. Final Fantasy X (melhor jogo de RPG, #prontofalei)
  3. Comer coxinha pela bundinha primeiro
  4. One Direction (e tem provas de que eu era emo/pseudo-punk revoltada no passado)
  5. Escrever recadinhos pra roomie à mão
  6. Dormir com Bepantol na boca (hidrata que é uma beleza!)
  7. Esquentar as mãos no bolso alheio
  8. Deitar a cabeça no ombro alheio
  9. Chick flicks (melhores filmes)
  10. Trilhas sonoras instrumentais (a de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 é uma das preferidas!)
  11. Mangás e animes!
  12. Quindim (mais que brigadeiro, #prontofalei2)
  13. Acompanhar babados no Twitter (o que foi essa cobertura da Cerimônia de Abertura das Olimpíadas, gente?)
  14. Abraços apertados
  15. Receber ligações inesperadas (é tipo declaração de amor hoje em dia, né?)
  16. Acordar cedo
  17. Andar pra todos os lados, o tempo todo
  18. Andar de mãos dadas
  19. Piadas sem graça
  20. Filmes da Disney (A Bela e a Fera: amor eterno, amor verdadeiro)
  21. Listas!
  22. Fazer resumos (de tudo o que eu leio e acho importante)
  23. Pão de queijo com doce de leite (NHAMI ♥)
  24. O sorriso das pessoas que eu amo
  25. Conversas com mil pessoas ao mesmo tempo na internet

Eu acho que eu podia continuar essa lista até amanhã, mas deu pra ter uma ideia das coisas que eu gosto, né? Tem horas que a gente sente um pouco de vergonha de assumir algumas coisas sobre a gente, por medo se sermos julgadas mesmo, e isso é tão bobagem! E daí que eu gosto de mangás e sou a louca de Harry Potter? Isso não muda quem eu sou de verdade e todos esses ‘assuntos’ podem ser usados como uma ferramenta pra me relacionar com as outras pessoas. E essa é a meta. E é uma meta linda. E nada mais importa além dela!

Agora é a sua vez: me conta uma coisa que você gosta e eu jamais imaginaria?

BEDA2016