amorzices: um pouco sobre ser gentil

amorzices gentileza

foram poucos os momentos da minha vida em que eu fiquei verdadeiramente revoltada, mas um deles foi lendo O Lado Bom da Vida, do Matthew Quick. não me pergunte o porquê, mas a mesma revolta que eu senti lendo o livro, eu senti com o filme, um misto de ‘mas o quê?‘ com ‘não sei se peguei o que está acontecendo aqui‘. ainda assim, tem uma frase do personagem principal, o Pat, que me acompanha desde esse primeiro contato com a história:

“estou praticando ser gentil em vez de ter razão”.

meio que um tiro na testa, né? eu consigo pensar com muita clareza, hoje, nas vezes em que preferi ter razão a ser gentil. e tudo bem, sabe? no momento, parecia muito importante eu ter razão, e chorar pelo leite derramado não me faz voltar no tempo e agir de forma diferente.

o que fico pensando é que talvez a gente nem saiba exatamente o que é ser gentil, sabe? porque a gentileza não é educação. não é você fazer coisas pelas outras pessoas esperando quitar a sua dívida com o universo e ganhar um lugar no céu. sabe? não tem nada a ver com karma.

ser gentil é… amar. é cuidar. é fazer o que é melhor pra todo mundo só porque você sabe que todo mundo e você são a mesma coisa. não tem nada de ‘vou fazer porque é certo‘, ‘vou fazer porque é educado‘, ‘vou fazer porque eu espero ganhar alguma coisa em troca‘. ser gentil é ser quem você é e lembrar as pessoas disso também.

me vem na cabeça, de novo e de novo, que a gente tá sempre muito acostumado a pensar só na gente. em como a gente pode se sair bem de alguma situação, como ganhar alguma coisa no fim do jogo, de ‘sair na vantagem‘. só que isso não é gentil. percebe?

amorzices gentileza

ser gentil é ser carinhoso. é não se privar de sentir coisas gostosas e demonstrar o quanto você gosta de alguém. é segurar a porta pra alguém passar porque você não tá com pressa de chegar primeiro. é dar bom dia pro cobrador do ônibus porque ele deve ver tanta cara feia o dia inteiro que tem certeza que é invisível pras pessoas. é fazer uma xícara de chá e tirar uma pausa quando você não consegue escrever, porque forçar a barra alimenta uma violência mental, e você fica brigando consigo mesma até jogar a toalha e sair batendo o pé pela casa.

é isso. ser gentil é não ser violento – com o outro ou com a gente mesma, mesmo que só na nossa cabeça, só em pensamento. às vezes é bom, sabe, a gente parar pra pensar um pouquinho e lembrar o que significa ser gentil. eu criei uma listinha pra ajudar ó:

ser gentil é:

  1. desistir de ter razão
  2. não brigar com você mesma na sua cabeça
  3. prestar atenção de verdade quando alguém fala
  4. observar o que tá acontecendo antes de sair por aí falando o que dá na telha
  5. tentar entender como a outra pessoa está se sentindo (e oferecer conforto, sabe?)
  6. dar atenção pra quem tá pedindo atenção (e não soltar um ‘agora não tenho tempo pra você‘)
  7. aliás, esquecer o tempo e fazer o que você precisa fazer com calma e presença
  8. ler um livro querendo entender o autor
  9. oferecer carinho quando o carinho é devido
  10. oferecer o silêncio quando o silêncio é devido
  11. pensar duas vezes antes de soltar aquele comentário raivoso na internet (a gente já falou sobre isso, lembra?)
  12. responder uma mensagem com carinho em vez de pressa
  13. comer prestando atenção no que você tá comendo
  14. ficar ligada no que você tá sentindo e desistir das coisas ruins (tipo raiva. ninguém merece sentir raiva)
  15. cuidar. de você mesma e de quem tá pertinho (ou longe – oi, Lominha! ♥)
  16. não escolher especiais e tratar todo mundo do mesmo jeitinho carinhoso
  17. não julgar

gentileza é natural de todo mundo. não tem alguém que é mais ou menos gentil, tem só um pessoal que esqueceu que isso é assim, entende? e a nossa função é lembrar as pessoas que essa gentileza está aí, que ela existe, e que ela é nossa. a gente merece viver num mundo gentil, você não acha?

amorzices gentileza

me conta: o que é gentileza pra você?

você pode fazer parte dessa blogagem coletiva com a gente. o amorzices é um projeto mensal, publicado todo dia 15, criado pelo trio amorzinho Sernaiotto + Serendipity + Desancorando e que terá um tema de base: amor. a partir daí, a gente vai falar sobre um monte de coisas. o tema de fevereiro é ‘gentileza’. então, faz um post no seu blog e deixa o link nos comentários pra gente ver também, tá bom?

sobre seguir um planejamento (ou: uma meta para fevereiro)

planejamento meta fevereiro

coisa doida, né, eu tava dia desses pensando que queria começar a montar um planejamento mais bonitinho pro blog, escrever os posts com antecedência, pensar melhor no conteúdo que eu coloco aqui. daí eu, Mel e Lominha começamos a pensar nos temas do projeto detalhes desse mês e surgiu a ideia de estabelecer uma meta pra fevereiro. tipo destino, escrito nas estrelas, coincidência boa, coisa de filme.

confesso que ainda passei alguns dias quebrando a cabeça, tentando pensar em metas que eu poderia colocar pra mim mesma esse mês (e que me ajudassem a alcançar a minha meta do ano, que você já sabe qual é), mas eu voltava de novo e de novo pro mesmo lugar: tentar seguir um planejamento. decidi parar de brigar comigo mesma e colocar esse como o meu objetivo do mês.

eu tenho uma questão com planejamentos, sabe? eu acho que eles matam a minha espontaneidade criativa. faz sentido isso? achar que planejar alguma coisa com antecedência tira a sua criatividade? essa coisa de ser espontânea e sentir a inspiração chegar à meia-noite de uma quinta-feira e redigir um texto inteiro em cinco minutos (coisa que eu faço tanto), com a maioria dos textos do blog (e do trabalho também).

planejamento meta fevereiro

mas, na verdade, essa é só uma desculpa pra eu me sentir culpada depois. pra ficar com a sensação de ‘meu Deus, eu tenho 33 mil coisas pra fazer e não me planejei antes e agora tá tudo encavalado e eu vou precisar trabalhar até de madrugada‘. quando um pouquinho de planejamento resolveria a questão toda e não me deixaria querendo arrancar os cabelos todos os dias da semana. ou chegar no fim do dia sentindo que eu não consegui produzir nada porque passei o dia inteiro pirando no tanto de coisa que eu tinha pra fazer.

você conhece esse loop também?

pois é. então, sim, a minha meta desse mês é montar e seguir um planejamento. com tudo. os posts do blog, as matérias do trabalho, e lidar melhor com deadlines. principalmente, seguir direitinho o que eu propus, sabe? a parte mais difícil não é querer mudar, é tornar a teoria prática. daí você tem lá uma planilha lindona, que passou horas montando, mas que termina o mês tão em branco quanto começou. não dá, né? acho que é hora de eu seguir o meu próprio conselho à risca.

sei lá. eu tenho pensado muito sobre o meu fluxo de trabalho e a forma como ele acontece hoje. apesar de bem organizo ainda é caótico, sendo que não precisa ser assim. tipo, eu não preciso ficar competindo comigo mesma, vendo até quando eu vou conseguir segurar essa matéria pra fazer aos 45 do segundo tempo. ou improvisando fotos com o celular pros posts porque eu esqueci de tirar com a máquina de manhã, e agora não dá mais tempo porque eu vou escrever o post à tarde de outro lugar.

sabe esses pequenos refinamentos? sei lá. pensei também que não tem maneira melhor de eu firmar essa meta do que colocar aqui no blog, pra todo mundo ler. daí você me cobra, tá? prometo tentar mostrar um pouco desse processo por aqui (ou pelo Stories do Insta, já me segue por lá?).

teremos uma Maki louca das planilhas e das páginas de planejamento no #bujo? com certeza. vai dar certo? oremos, porque acho que vai ser importante pra essa nova fase que eu tô começando. tanta coisa boa rolando por aí, não vale a pena eu ficar me desgastando com essas pequenas violências do dia a dia, né? (já reparou como a gente ficar achando motivos pra se sentir culpada é violento?).

por onde você começa quando precisa fazer um planejamento? deixa a sua dica nos comentários!

este post faz parte do projeto detalhes, uma blogagem criativa criada por desancorando + sernaiotto +serendipity  saiba mais sobre o projeto clicando aqui e confira os posts já publicados aqui.

projeto detalhes novo

detalhe: a máquina que faz fotos pra levar na carteira

instax mini 8

eu comprei a minha Instax Mini 8 na França, literalmente um dia antes de voltar pro Brasil. tive aquela crise clássica de ‘segurei dinheiro a viagem inteira e agora sobrou um pouco e acho que eu mereço *insira o seu item de desejo aqui*‘. a primeira foto que eu tirei, queimou. foi uma foto dos cataventos que tinham na varanda do apartamento que eu morava lá. era pôr do sol, mas a máquina não conseguiu identificar o tipo certo de iluminação e a foto ficou assim, meio queimada.

mesmo estranha, eu levo essa foto na minha carteira, como uma lembrança dos dias que passei lá, tanto quanto levo o próprio catavento na parte de trás do meu braço direito.

instax mini 8

quando eu era pequena, lembro que ver as fotos reveladas da máquina de filme (que era o normal naquela época) e sentir o coração quentinho, lembrando de cada momento em que as imagens foram feitas. era muito emocionante. não deixa de ser assim com a Instax. ela virou tipo um amuleto, um acessório que eu levo comigo em dias potencialmente incríveis pra fazer um registro. e a sensação é essa ao ver a foto impressa, na hora.

eu tenho uma caixinha cheia de fotos, que espero colocar em um mural um dia. lembranças de momentos maravilhosos que tive ao longo dos últimos anos, desde que eu decidi comprar a minha câmera, em fevereiro de 2014.

instax mini 8

instax mini 8

pensando agora, eu tenho um registro de todo o meu processo de cura – algumas fotos por ano desde que eu decidi que ia melhorar, encontrar a felicidade dentro de mim e tirar aquele cachorro preto da minha cola. fico com o coração transbordando ao perceber que alcancei essa meta e que foi possível cumprir a promessa que eu me fiz naquela virada de ano, de que eu nunca mais me sentiria daquela maneira.

hoje, a Instax fica na minha escrivaninha, bem pertinho de mim. ela tá sempre pronta pra agir, no momento que eu precisar de um clique exato pra marcar um momento incrível. o mais legal é que não é a máquina que fazem os momentos serem incríveis, só a minha permissão de aproveitá-los e, quem sabe, registrá-los com uma foto revelada na hora pra colocar na carteira depois.

este post faz parte do projeto detalhes, uma blogagem criativa criada por desancorando + sernaiotto +serendipity  saiba mais sobre o projeto clicando aqui e confira os posts já publicados aqui.

projeto detalhes novo

 

metas para realizar em 2018 (ou: por que ter sonhos?)

sonhos para realizar em 2018

o tema do detalhes dessa semana não foi fácil. sonhos para realizar em 2018. como assim? que tipo de sonhos? o que é sonhar? honestamente falando, não sei se posso dizer que ainda quero ter sonhos nesse mundo. sim, eu sei como isso pode parecer estranho para quem vê de fora – uma visão meio acomodada da vida -, mas é que eu não vejo mais graça em sonhar, sabe?

teve um tempo da minha vida que eu passava o dia inteiro sonhando acordada, fazendo listas e mais listas de coisas que eu queria realizar e mais um monte de outras que eu queria fazer. cheguei até a escrever uma lista do tipo ‘30 antes dos 30‘, que não só falhei em cumprir, como também abandonei por completo.

‘puxa, Maki, você tá dizendo que sonhar é ruim?‘ depende. que tipo de sonho? se for pra ficar imaginando um milhão de coisas e uma vida diferente, não, obrigada. prefiro manter os pés no chão e pensar de forma mais objetiva sobre o que é necessário. talvez, por isso mesmo, eu prefira não ter sonhos para realizar em 2018.

o que me fez pensar que eu também não consigo dizer exatamente o que eu quero fazer esse ano, porque eu não sei o que é necessário. ixi, que confuso! como eu posso definir o que fazer, se não sei o que me vai ser pedido nesses 12 meses?

ainda assim… talvez eu consiga colocar em palavras algumas coisas que vou correr atrás de cumprir esse ano. se são sonhos ou não, eu não sei, mas pelo menos são guias que me vão me ajudar à chegar na meta e serão ferramentas pra minha meta, que eu prometi não mudar mais.

1.colocar mais carinho no blog

eu sei que já tem muito carinho por aqui. você me fala isso todos os dias, e o meu coração fica todo se engraçando quando eu recebo um elogio seu. mas, sabe, eu tenho percebido que dá pra ir além do que eu tô indo e colocar mais da minha meta (aquela de cuidar, de amar, de entregar pra vocês uma visão verdadeira da vida) no que eu faço por aqui. dá pra dar aquele passinho extra, sabe? eu me dedico muito ao blog, mas tem aquele passo de acreditar que o que eu faço é importante, e que tá meio em falta. dá pra fazer, eu consigo e eu sei que você precisa disso também, né?

2.voltar a estudar

pode ser ukulele (que eu abandonei, tadinho). pode ser o coreano, que eu tanto sinto vontade de aprender. pode ser o francês, que eu perdi a prática. pode ser a como escrever melhor ou até alguma coisa relacionada a produção de conteúdo pra internet. mas eu quero me capacitar mais e entender melhor o que as pessoas precisam e como eu posso usar tudo o que eu tenho como ferramenta pra meta, sabe? ah, e eu sei que o infinistante, o clube do livro que eu criei com a Mel e a Lominha, vai me ajudar muito com isso. ler também é estudar, é entender o mundo, e isso é muito legal.

sonhos para realizar em 2018

3.servir

vale colocar uma coisa tão abstrata assim como um sonho a ser realizado? mas, sei lá. sabe essa coisa que eu falei de entender o que vai ser preciso, pra daí fazer? então. eu quero colocar na prática o servir. eu quero entender como eu posso ser útil, como eu posso ajudar e o que é preciso pra alcançar a minha meta. mas eu só consigo isso, se eu praticar tudo o que eu já comentei aqui: eu preciso me colocar disponível pra saber o que você aí do outro lado tá precisando ler, entende? ou o que a minha chefe precisa pra ficar bem. servir. servir servir servir. acho que isso é o que eu mais quero esse ano.

eu falei aqui num outro posto que o meu maior desejo pra 2018 é encher o mundo de amor. isso continua valendo. e eu me comprometo também a usar cada uma dessas metas com esse propósito, que é único, sabe? não sei, posso estar filosofando demais em cima de uma coisa tão simples, mas eu fico pensando que talvez o melhor a fazer não seja planejar tanto as coisas, mas só seguir o fluxo, segundo o nosso propósito. fixa o foco lá e vai olhando pra tudo que aparece com carinho, tentando entender se entra ou não no que a gente estabeleceu como A Coisa Mais Importante™, tomando as decisões a partir daí.

parece complexo, mas só porque a gente tem essa mania de complicar as coisas. na verdade é muito fácil. é, acho que esses 3 pontos são o suficiente pra me ajudarem esse ano como um guia pro que eu sei que vai deixar o meu coraçãozinho em paz.

me conta, o que você quer pra 2018? 

este post faz parte do projeto detalhes, uma blogagem criativa criada por desancorando + sernaiotto +serendipity  saiba mais sobre o projeto clicando aqui e confira os posts já publicados aqui.

projeto detalhes novo

vamos encher o mundo de amor

coração rosa

é, mais um ano começou. dá um frio na barriga, né? por um lado, a gente tem mais trezentos e sessenta e tantos dias pra tentar de novo, pra fazer diferente, pra começar do zero. na verdade, a gente nem precisa de um ano novo pra fazer tudo isso, né? mas a gente gosta de pensar que o bater da meia-noite tem aquela magia que a gente tanto busca (e que, na verdade, tá escondida bem fundo no nosso coração).

eu fiquei pensando que 2018 já começou lindo. já começou me deixando emocionada e com lágrimas nos olhos e aquela vontade de fazer mil novas promessas que talvez eu não cumpra e dizer pra todo mundo o quanto eu amo as pessoas. pensando friamente, talvez seja exatamente isso que eu faça esse ano.

em 2017 eu me compreti com uma única meta e acho que dessa vez não dá pra ser diferente. quando eu postei no Instagram essa foto aqui, com a legenda ‘vamos encher 2018 de amor‘, meu coração cantou de alegria. ‘é isso mesmo, Maki, a gente vai precisar colocar muito amor no mundo nesse ano que tá começando‘.

é ano de eleição. e a gente bem sabe o que acontece quando isso rola. é ano de Copa também, e se 2014 nos ensinou qualquer coisa é que the zoeira never ends, mas que futebol também é motivo de muita briga, de vergonha e cabeça baixa.

e as pessoas tão cansadas, sabe? elas tão cansadas das discussões sobre uma bola que bate ou não numa determinada rede, sobre quem toma decisões por todo mundo, mas usa o dinheiro pra comprar ilhas no litoral da França, tão cansadas de matar um leão por dia e tão cansadas de não se sentirem livres pra serem quem são. você sente isso? esse cansaço generalizado? essa vibe de exaustão? tá todo mundo muito cansado.

e o ano… sim, é um novo ano. são muitas oportunidades de fazer coisas incríveis. mas acho que a gente precisa mudar a prioridade. e acho que a nossa prioridade tem que ser o amor, porque o mundo não vai ser legal com a gente. não é função dele, entende? ele tá aí, fazendo as coisas que faz e distraindo a gente daquela latência no fundo da nossa mente, pedindo pelo amor de Deus que a gente volte pra casa, que lembre de quem é. 2018 tem que ser um ano de relembrança.

‘we’re all traveling through time together, every day of our lives. all we can do is do our best to relish this remarkable ride’ – About Time (2013)

se ano passado eu prometi me abrir pro amor, esse ano eu me comprometo a tornar o amor a minha prioridade. ele vai passar na frente de tudo, vai ser a minha primeira escolha sempre – e, se eu me esquecer, eu vou fechar os olhos e me perguntar de novo porque eu faço tudo isso, porque eu vim parar aqui, e eu sei que a sua voz doce e gostosinha vai soprar no meu ouvido que é pra eu lembrar as pessoas de que ele existe e que só ele salva.

seja gentil. cumprimente as pessoas com um sorriso. dá um beijo antes de sair de casa. abraça, aperta, segura na mão. cuida das pessoas que tão perto de você. pede ajuda. não tem problema nenhum em assumir que não dá pra fazer sozinha, e as pessoas vão ficar felizes em te ajudar. presta atenção, escuta. não digita de cabeça quente. pensa em quem tá lendo o que você vai escrever. lembra das pessoas que você ama quando as coisas ficarem difíceis. tome mais xícaras de chá. diz que ama. diz que ama muito. diz que ama pra sempre. pensa com carinho, sobre si mesma e sobre o outro. larga mão de falar mal, menina. não importa de quem seja. respira fundo. você consegue.

não joga as coisas pelo quarto. cuidado pra não se bater tanto pelas quinas da casa. fica atenta: a raiva que você sente não é normal. não discute, tenta entender. não entende só, perdoa também. sorria sorria sorria. ouve o que seu coração tá te falando. para de pensar tanto no que as outras pessoas acham de você (elas não pensam em você tanto assim). cuida. cuida. cuida.

o mundo vai continuar sendo cruel se a gente deixar. ela vai continuar injusto e cinza e triste e malvado. ele não será piedoso – não é por isso que ele foi criado. mas a gente? ah, a gente tem uma missão grandiosa. maior que o mundo e que o universo inteiros.

a gente é mais do que tudo isso. a gente pode. a gente consegue. juntos somos mais fortes mesmo. o amor vai prevalecer. mas a gente tem que começar de algum lugar. a minha promessa em 2018 é colocar o amor como prioridade. é não me deixar levar pelas mentiras do mundo. é me lembrar de novo e de novo do porquê eu vim pra cá. é ajudar você a lembrar também.

o mundo não é legal. a gente, sim. vamos ser maiores que as discussões no Twitter, as conversas no Facebook. maiores que eleições e Copas do Mundo e viagens pra praia no fim de semana e provas de vestibular. vamos lembrar pras pessoas que dá pra ser feliz, que dá pra cuidar de todo mundo e, principalmente, que a gente tem muito amor pra distribuir por aí, fazendo o que quer que seja. o mundo precisa do nosso amor tanto quanto a gente precisa dele.

em 2018, ame. ame, ame, ame, ame. ame muito. ame todos. ame sem distinção. ame sem limites e sem medidas. sem freios ou bloqueios. com lágrimas de alegria. com abraços de urso e beijos no nariz. ame sem pensar duas vezes. ame nas palavras, nos gestos, nas músicas que você ouve e nos tuítes que escreve. nos doces que come, nas fotos que tira e até nos banhos que toma.

ame. apenas ame. sempre ame. ame.