Respondendo: tudo sobre bullet journal

Eu prometi muito fazer um vídeo sobre esse assunto, mas enquanto ainda estou repensando esse formato (e como ele se encaixa no meu propósito), queria responder um tanto de perguntas que me fizeram sobre o bullet journal há algum tempo, no Facebook e no Instagram.

Respondendo: tudo sobre bullet journal

Aproveito esse post – que vou fazer mais no estilo perguntas e respostas – pra mostrar também o meu BuJo de Abril! Eu comentei no Insta que comecei um caderninho novo esse mês e sei que estava devendo mostrar o layout novo. Então, bora lá!

1. Como eu me acostumei a usar o bullet journal?

Olha, não tem muito segredo. Foi questão de criar um hábito mesmo! Eu sempre deixo o meu BuJo aberto do lado do computador, ele é a primeira coisa que eu vejo quando sento para trabalhar! Assim fica difícil eu deixar de anotar o que eu preciso ali. A minha dica é: deixe num lugar à vista! É mais fácil de pegar o hábito quando você tá vendo o caderno ali, olhando pra você o tempo todo!

Respondendo: tudo sobre bullet journal
Index novo – agora com mais espaço!

2. Como eu me mantenho motivada?

Puxa, essa é outra pergunta que não tem muito segredo. A questão é: lembram que eu falei que o BuJo precisa ter um propósito? Pois bem, o meu tem um muito claro: me manter organizada. Trabalhando de casa, eu preciso de algum tipo de sistema que me ajude a cumprir prazos e entregas, que seja prático e fácil. Quando comecei o BuJo e logo vi os resultados (positivos!) não tinha porque eu não continuar com ele. Fora que você vai pegando o jeito de fazer as letras, os cabeçalhos, vai usando o caderno como um arquivo de furtos e a coisa vai tomando forma. Fica divertido!

Respondendo: tudo sobre bullet journal

3. Que tipo de caderno eu uso?

Essa pergunta eu já respondi neste post aqui. Mas vale lembrar que é um caderno quadriculado da marca Pombo, tamanho A5 (aquele menorzinho, que cabe melhor na bolsa).

Respondendo: tudo sobre bullet journal

4. Como é a minha rotina?

Essa é fácil! Eu normalmente acordo, faço as minhas coisas e sento para trabalhar. Antes de ligar o computador eu olho no calendário do meu BuJo se tem algum evento previamente marcado para aquele dia e, se não, eu começo a montar o meu daily log. Eu não listo as tarefas por prioridades. Coloco sempre tudo o que tenho pra fazer ali, sem ordem, e aí conforme o dia vai passando eu sinto o que é mais ou menos importante de fazer a cada momento.

Respondendo: tudo sobre bullet journal

Respondendo: tudo sobre bullet journal

5. O que colocar no Key?

Isso vai muito de cada uma. Eu sou bem básica, não gosto de colocar mil ícones porque sei que não vou usar Então deixo só aqueles que são ‘usáveis’ mesmo, como o de tarefa, compromisso, tarefa cumprida, cancelada, etc. Pensa no que é prático pra você, tá?

Respondendo: tudo sobre bullet journal
Detalhe do layout novo

6. O que colocar no tracker

Isso também é muito pessoal, vai de cada uma. Esse mês eu decidi mudar o tracker e colocar só tarefas relacionadas ao blog, porque eu estava esquecendo de marcar as caixinhas e isso estava deixando de ser produtivo. Eu gosto de deixar as coisas do Desancorando ali porque assim consigo ter uma ideia de como anda a minha produção (meio esquizofrênica, como vocês podem ver! Ahahah).

Respondendo: tudo sobre bullet journal
Tracker agora mais voltado para o blog

7. O que o meu BuJo tem de diferente?

Olha… Eu diria que são doses cavalares de amor. Eu amo muito fazer o BuJo, sabe? Coloco ali tudo o que me inspira, tudo o que me faz bem, lembretes de quem eu sou de verdade e qual o propósito disso tudo, qual a minha meta. Não sei se isso pode ser considerado diferente, mas eu sei o tanto de carinho que coloco nesse caderninho. Não à toa ele virou parte da minha rotina!

Respondendo: tudo sobre bullet journal
Daily Log e páginas ‘extras’

Ufa! Acho que nem preciso dizer o quanto o bullet journal tem me ajudado, né? Você já sabe bem disso (ainda mais se me segue no Instagram e vê as mil fotos que eu posto dele toda semana).

Tem mais alguma dúvida sobre bullet journal? Me conta aí!

O arquivo de furtos perfeito chama bullet journal

Eu falei na semana passada que estava relendo Roube Como Um Artista, do Austin Kleon, e como eu adoro os conceitos que ele apresenta pra incentivar a criatividade.

Daí que desde que voltei a ler esse livro eu percebi que o bullet journal é PERFEITO pra ideia que ele lança do arquivo de furtos. Não sei se estou atrasada nisso, mas só hoje me caiu essa ficha. E serve pra esse propósito principalmente se você, como eu, acha que não consegue guardar coisas diferentes em lugares diferentes.

o arquivo de furtos perfeito chama bullet journal
Log de Roube como um Artista no meu BuJo

O que é um arquivo de furtos?

É um lugar (um caderno, uma pasta, um arquivo, sei lá!) que você usa para guardar coisas que te inspiram de alguma forma, tipo frases motivacionais, artigos de jornais, tirinhas, fotos, recortes… Enfim, o que você quiser! A ideia principal é pegar alguma coisa do trabalho de uma pessoa que você considera inspiradora (um artista, escritor, o grafiteiro da esquina da sua casa, qualquer um vale!) e ‘roubar‘, guardar em um arquivo que você pode ver depois e tirar inspiração dali. Entendeu?

E por que o BuJo é perfeito pra isso?

No conceito original do bullet journal, o Ryder Carroll (que idealizou esse sistema) explicou que o objetivo do índice no BuJo é você ter uma página para marcar tudo o que entra no seu caderno, não só os calendários e logs. Ou seja, se você quiser, no meio de um mês, colocar uma página só com frases bacanas de um autor que você está lendo, ou colar ali o recorte de uma matéria que você gostou, ou fazer um desenho, você pode! Pra isso serve o índice, você marca essa coletânea nova lá e pode voltar a ela sempre que quiser. É isso também que torna esse método tão eficiente: ter um índice sempre atualizado.

Sendo assim, você pode usar o seu BuJo pra tudo o que você quiser – é por isso que ele é tão legal -, e ele serve perfeitamente pra você guardar ali todos os seus furtos.

Lembram que eu falei que um BuJo não funciona quando ele não tem um propósito? Então, se você precisa que ele seja apenas uma agenda mesmo, no sentido apenas de manter você organizada – tudo bem! Mas, o seu propósito pode ser também: guardar tudo o que inspira. Quem disse que a minha agenda não me inspira? Me manter organizada é uma forma de inspiração – eu não abro espaço pra preguiça, entende? – então eu vou só colocar nele mais coisas ainda pra me inspirar.

O meu BuJo agora está com esse propósito. Ser um arquivo de furtos/agenda. Quero colocar nele tudo que me inspira de alguma forma e levar comigo sempre,pra sempre ter esses furtos a mão. É uma forma de ter comigo uma senha pra me levar pra um lugar legal na mente, onde as minhas ideias estão meio escondidas por conta de todo o barulho, saca?

O que você acha? Já pensou em usar o seu BuJo como um arquivo de furtos?

3 motivos pelos quais o seu bullet journal não funciona

Desde que comecei o meu bullet journal, atingi o meu objetivo de ser uma pessoa mais organizada (can I get an amen!?). Mas eu percebi, na comunidade como um todo, que muitas pessoas não conseguem ir em frente com esse método de organização.

motivos pelos quais o seu bullet journal não funciona

E, claro, ele não vai funcionar mesmo se você o usar com um propósito diferente que não seja se organizar. Isso é muito importante: tudo na vida tem um propósito, se você usufrui de qualquer coisa fora disso, ela não vai ‘dar certo’, o fluxo fica travado. Com o BuJo não é diferente.

Com isso em mente, pensei em 3 motivos pelos quais o seu bullet journal não funciona.

Você quer que ele seja bonito (em excesso)

Tudo bem, eu também quero que o meu BuJo fique bonitinho. Mas obcecar com a imagem muda o propósito da coisa, que é ser funcional. Se vocês lembram, no primeiro post que eu fiz sobre o bullet journal, eu comentei que o projeto original do Ryder Carroll é muito simples (e bota muito nisso), justamente porque esse caderno tem quer servir um objetivo: ajudar você a se organizar.

O Pinterest é um lugar maravilhoso para buscar referências bacanas para montar o seu BuJo, mas também pode dar aquela bad olhar aquele tanto de desenho e layout lindos e não conseguir reproduzir igual. Isso desanima. Uma dica para reverter esse quadro é pensar sempre no que é mais útil: ter um milhão de desenhos na página ou registrar aquela receita que tão me passando aqui, ao vivo? Com o tempo, você vai pegando prática e se aventurando mais nas caligrafias e doodles. Mas não deixe o visual te desmotivar.

Você não cria um hábito

De nada adianta você criar o bullet journal mais lindo do planeta inteiro se você não cria um hábito de uso. Eu, por exemplo, deixo o meu sempre aberto do lado do meu computador. Como eu trabalho de casa, ele tá sempre ali do ladinho, aberto, e a primeira coisa que eu faço no meu dia é escrever tudo o que tem que ser feito nele. Assim não tem como eu não usar, entende? Tem que insistir, nas primeiras semanas pode bater aquela preguiça, você vai esquecer de anotar as tarefas do dia…. Mas é normal. Depois de um tempinho, fica mais fácil e mesmo que você esqueça de fazer o seu log do dia, você não sente aquele pânico. O hábito faz com que você lembre mais facilmente de tudo o que tem que ser feito na semana, mesmo se você não anota.

Você não tem um index

Sim, o bullet journal não segue um padrão exato, mas o Index é muito importante. Eu meio que não dava nada pra ele, até o dia que queria encontrar uma página específica e fiquei uma meia hora procurando no caderno inteiro até lembrar que eu podia ir lá no Index e achar a página em dois segundos. É uma ajuda mesmo, porque fica muito mais fácil você criar o seu BuJo conforme as suas necessidades, mas ainda assim não se perder em todas as coisas que você escreve.

Se eu estou apaixonada com o BuJo? Tô sim, senhor! Já são cinco meses usando todos os dias e é lindíssimo o quanto ele me ajudou. Para mim, montar o meu bullet journal virou uma terapia, é um momento que eu paro para definir o que é mais importante para mim (e para todos), o que merece mais a minha atenção em cada momento do dia, e uma forma de registrar um processo de transição que, como você bem sabe, tem sido incrível.

O que a gente pode tirar desse post é: não mude o propósito das coisas! Use o seu BuJo para se organizar e é isso que você vai ter como resultado. Esse é o foco, entende? E, no mais, monte o seu caderninho com carinho, com amor, que eu garanto que vai ser muito mais legal escrever nele todos os dias. Não faça dele uma ‘obrigação’, uma coisa chata e maçante, entende?

Ah, e isso não impede que você busque inspirações bacanas pro seu bullet journal, viu? Se você ainda não segue, eu montei um painel bem legal lá no Pinterest com um monte de páginas bacanas, ó:

Follow Maki’s board BULLET JOURNAL on Pinterest.

Você teve problema com algumas dessas coisas? Conseguiu resolver?

Tudo o que você precisa para montar um bullet journal

Acho que o Bullet Journal foi a melhor invenção dos últimos 10 anos. Digo isso porque há muito tempo tento me organizar bem, falhando miseravelmente e com uma coleção de agendas inacabadas escondida na gaveta da vergonha que ficou na casa da minha mãe.

Então, desde que eu adotei esse método, ele tem funcionado tão bem pra mim que eu acho que dificilmente vou abrir mão dele por qualquer outra coisa. São 4 meses usando o BuJo firme e forte, todos os dias, e só com bons resultados. Então, não tem porque abandonar, ?

Tudo que você precisa para montar um bullet journal

Algumas pessoas me perguntaram o que é preciso para começar um bullet journal, e eu tenho certeza que vocês vão ficar chocadas com a quantidade de material necessária (*insira uma carinha irônica aqui*):

  1. Um caderno
  2. Uma caneta

Fim. Não precisa de mais nada. Não sei se vocês lembram, mas no primeiro post que eu escrevi sobre o BuJo eu coloquei o vídeo do criador, o Ryder Carroll, em que ele mostrava o passo a passo de como montar um caderno desses. A ideia original é muito, muito, básica, justamente para manter a funcionalidade, então não tem porque você precisar de mais do que um bom caderno e uma boa caneta (que, de preferência, não manche o papel).

No Pinterest e no Tumblr você encontra inspirações incríveis para o Bullet Journal, mas uma coisa que eu percebi é que as pessoas tendem a desistir dele porque não acham que vai ficar tão legal quanto os que você vê por aí.

E, com isso em mente, entra a minha pergunta: mas a sua meta é ter um negócio bonito ou se organizar?

O bullet journal, assim como qualquer outro método de organização ou qualquer outra coisa que você goste ou se relacione, pode ser uma baita ferramente para frustração. Você se esforça (ou não) para fazer um troço bacana, aí olha no Pinterest uma ilustradora X que fez uma verdadeira obra de arte em papel e pensa em tacar o caderno pela janela de raiva porque o seu tá feio-horrível-ai-meu-deus-vou-tacar-fogo-nesse-treco. Resultado: frustração.

Quando eu comecei o meu BuJo, eu pensei, sim, que queria uma coisa bonitinha, mas eu precisava muito me organizar. Trabalhando de casa, se você não tem um mínimo de disciplina, as coisas se embolam e você acaba passando muito mais tempo procrastinando do que fazendo o que tem que fazer mesmo. Então, eu fui fazendo e, aos poucos, o meu caderninho foi ganhando forma.

Atualmente, eu estou encantada com o layout, as páginas que eu coloco ali, como escrevo, tudo! E ainda uso o espaço para treinar caligrafia e até algumas ilustrações. Virou quase que uma terapia montar o meu caderno. É uma coisa que eu faço com carinho, porque me ajuda a entregar o que eu tenho pra entregar. É uma ferramenta mesmo, entende?

Agora, se você quer mesmo saber o que eu uso para fazer o meu BuJo… Taí:

  1. Caderno Pombo quadriculado tamanho A5 (comprei na Kalunga)
  2. Caneta Fine Pen Faber-Castell de ponta 0,4: para títulos, desenhos, frases, página de memórias, etc.
  3. Caneta preta de ponta fina moLin: para escrever tudo o mais; amo a escrita dessa caneta!
  4. Régua
  5. Lápis de cor: agora estou escolhendo uma cor por mês para o tracker
  6. Canetas Stabillo: assim como o lápis de cor, estou escolhendo uma cor por mês agora!
  7. Lapiseira: uso para fazer o traçado de algum título ou desenho que tenho ~medinho~ de fazer direto à caneta
  8. Borracha
  9. Washi tape: às vezes, gosto de colocar um pouquinho pra dar aquela colorida nas páginas!

Ufa, pronto. É isso! Uma coisa que tem me ajudado a cada vez mais deixar o meu BuJo com a minha cara é, justamente buscar inspirações pela internet e tentar colocá-las no meu caderno, desde que sejam funcionais e que me ajudem a ter uma rotina mais organizada. E, não, eu não levo isso tudo na bolsa sempre que saio de casa! No máximo levo só as duas canetas (da Faber-Castell e da moLin) pra fazer anotações.

Moral da história: adote o método se for a melhor coisa para você e não porque você quer um caderno cheio de ~firulas. Esse não é o objetivo. As firulas são um bônus e você aprende pelo caminho, garanto!

Se você quer ver algumas inspirações de BuJo, tem o painel que eu montei no Pinterest, ó:

Follow Maki’s board BULLET JOURNAL on Pinterest.

Você curte o BuJo? O que você usa no seu?

O meu bullet journal para janeiro

No finalzinho de dezembro – quem me segue no Insta sabe – eu tirei uma tarde para arrumar o meu bullet journal para janeiro. Confesso que fiquei muito animada e passei muito mais tempo procurando referências no Pinterest e no Tumblr do que montando o meu mesmo.

Acho que o que fica mais notável é que eu mudei beeeemmmm o layout. Eu gostava muito das bandeirinhas, mas confesso que o meu lado TOC ficava incomodado em usar uma cor diferente em cada dia. Também achei que o tracker e as minhas páginas fora o daily planner estavam muito o samba do crioulo doido e isso começou a dar nervoso.

o meu bullet journal para janeiro

Então, dessa vez decidi fazer uma coisa bem básica. Preto e vermelho são duas das minhas cores preferidas, então escolhi as duas pra fazer o tracker e o daily planner. Fora isso, usei apenas algumas cores diferentes para os cabeçalhos de páginas e pronto. Também decidir unificar as fontes que eu usava e fazer tudo em cursiva para os títulos, porque acho que fica bem mais bonito.

Fora isso, tudo mais ou menos como dezembro. Os mesmos destaques de antes: future log de seis meses, calendário mensal, metas do mês, metas do blog, os números do blog, leituras do mês, finanças e o tracker.

bujo-2

bujo-3

Uma coisa que eu fiz esse mês – e que estou muito empolgada pra completar – é uma página de ‘memórias’, em que vou escrever coisas que aconteceram de bacana em janeiro do jeito que eu achar melhor. Tá ficando bem divertido! E também já fiz uma página pro #thefabulousproject de dona Lominha pra acompanhar esse mês.

bujo-4

bujo-5

Você deve ter percebido que não fiz uma página ‘metas do ano’ ou ‘metas de 2016’. E se você acompanha o blog já sabe o porquê. Defini uma única meta, bem específica, pra 2016 e posso garantir que ela tem sido alcançada quase todos os dias!

bujo-6

bujo-7

Acho que essa é a primeira vez que consigo usar uma ‘agenda’ tão bem e por tanto tempo seguido. São quase três meses já de BuJo e eu estou bem mais organizada do que antes. Ainda preciso pegar o hábito de preencher algumas coisas (tipo a página de finanças), mas isso é com o tempo, né?

bujo-8

bujo-9

AH! Uma dúvida super importante; você gostaria de ver o meu BuJo em vídeo? Estou com essa ideia na cabeça, mas queria saber a sua opinião. Me conta o que você gostaria de ver, que eu mostro!

O que você acha? Curtiu?