i’m not a robot é a coisa mais preciosa que você vai ver este ano

i'm not a robot

títulos sensacionalistas à parte, há alguns dias eu perguntei no Instagram o que você gostaria de ver por aqui, e alguém comentou que sentia falta dos posts sobre doramas (os dramas coreanos). verdade, eu também tinha na cabeça que precisa escrever sobre alguns que vi recentemente, sendo o principal I’m Not a Robot.

acho que o meu nível de obsessão por esse drama foi tão grande porque eu me vi representada em cada uma das cenas entre os personagens principais, Kim Min Gyu e Jo Ji Ah. a história é a seguinte: o Min Gyu é um cara muito rico que perdeu os pais quando era pequeno e desenvolveu uma alergia aos humanos (sim, é isso mesmo). ele tem reações alérgicas horríveis quando encosta em alguém ou come a comida feita por outra pessoa. um dia ele recebe a proposta de um grupo de cientistas financiado pela sua empresa: eles têm um robô que pode ajudá-lo no dia a dia e se ele topar bancar a equipe pessoalmente, o robô é dele.

acontece que o tal robô foi feito à imagem e semelhança da ex-namorada do cientista principal, e ele fica desesperado quando um acidente faz com que ele fique temporariamente sem a máquina. a solução? vai correndo atrás da Ji Ah e pede para que ela faça o papel de robô por alguns dias, até que a máquina seja consertada.

você deve estar pensando ‘ah, não pode ser que alguém caiu MESMO no conto de um humano se passando por um robô‘. sim, pois é. é aí que entra a parte mais importante desse drama pra mim. o Min Gyu é solitário. ele é muito sozinho. ele passou 15 anos trancado dentro de uma mansão com medo das reações alérgicas que poderia ter por causa da sua condição. e as outras pessoas estavam tão preocupadas consigo mesmas e com o que elas queriam do Min Gyu e da fortuna dele, que ninguém pensou que ele poderia se sentir sozinho no meio de toda essa bagunça.

ele era tão solitário, mas tão solitário, que ter alguém pra conversar era um bálsamo. ele acreditou, sim, que a Ji Ah era um robô e colocou toda a confiança dele num relacionamento que parecia ser 100% fictício.

mas não era. a Ji Ah era real. e ela começou a perceber, dia após dia, que o que ela tinha pensado sobre o Min Gyu era tudo uma invenção da cabeça dela (porque eles tinham se conhecido brevemente antes). ela percebeu que não tinha o contexto. ela julgou as atitudes dele, achou que ele era grosso, mal-educado e mimado porque não sabia da história dele, de tudo o que ele passou. e ela desenvolve compaixão por ele.

i'm not a robot

os dois acabam virando grandes amigos. na verdade, eles se amam muito, e esse amor cura. o Min Gyu percebe que quando a ‘robô’ (chamada Aji 3) está por perto, ele não tem reações alérgica, ele consegue ter interações físicas com as pessoas e andar por lugares lotados. ele começa a entender como as relações sociais funcionam e ele sai da caverna em que se colocou tantos anos antes.

eu confesso que fico meio emocionada só de lembrar da história e das cenas, porque é muito lindo de ver a relação dos dois. nisso, a Ji Ah, que tinha ranço do Min Gyu, acaba virando a maior defensora dele, porque ela entende o que ele passou e porque ele age como age. ela prestou atenção. ela se interessou por ele e ela adaptou a forma como ela se comporta pra ajudá-lo. sim, o amor da Ji Ah salvou o Min Gyu.

é claro que essa história toda uma hora explodiria na cara de todo mundo (não tem como não ser assim, né?), mas essa relação que eles firmaram, ela continua ali, independentemente do que acontece. a Ji Ah passa de todos os limites pra ajudar o Min Gyu e provar pra ele que as pessoas são confiáveis, que são amáveis, e que ele merece uma vida melhor do que o isolamento que ele escolheu.

sei lá, gente. a gente duvida tanto das pessoas, sabe? a gente sempre começa todo relacionamento com um pé atrás, duvidando de todo mundo, achando que não se pode confiar em ninguém, mas é tudo falta de contexto. é falta de interesse. e quando eu acho que, talvez, eu seja uma das únicas pensando sobre isso, me vem um drama como esse escancarando pro mundo inteiro como é importante a gente se interessar pelo próximo.

o Min Gyu era tão sozinho que dói no coração lembrar. eu era assim também. eu nunca tive alergia a humanos, mas tenho certeza que o meu nível de isolamento e o dele não eram diferentes. mas o amor me salvou. ele me curou e continua me curando todos os dias. e ele pode curar qualquer pessoa. é só a gente se propor a prestar atenção em outro alguém que não a gente mesma.

no mais, Yoo Seung Ho tá absolutamente maravilhoso nesse drama e já ganhou o posto de um dos meus atores preferidos da televisão coreana. a Chae Soo Bin também virou uma das minhas favoritas e ela tá incrível em cada uma das cenas, tanto como Aji 3 como Ji Ah. ah, sim, e esse é o casal mais fofo dos últimos tempos e é impossível você não torcer muito pra eles ficarem juntos de verdade. o coração palpita só de lembrar.

I’m Not a Robot é um daqueles dramas que deixam o coração quentinho, te faz chorar muito e torcer pelos protagonistas. mas, principalmente, é uma história que vai te lembrar da importância de cuidar das pessoas e se interessar por quem tá na nossa frente. não dá mais pra gente passar os nossos dias sem o tal contexto, entende?

quem quiser, tem pra assistir no DramaFever

 

 

6 comentários

  1. Nunca assisti a dramas coreanos. Mas, depois desse post, fiquei louca pra assistir. Esse gif que você colocou me deixou tão: AWWWWWN! <3 Amei saber sobre esse drama e quando tiver a oportunidade, assistirei, com certeza. Amei demais!
    Já acompanho seu blog pelo Bloglovin', mas nunca tinha realmente entrado aqui e tô apaixonada pelo espaço. É lindo e aconchegante. Parabéns!

    Abraços!

    http://www.lysonjeada.com.br

    1. Maki respondeu Lysia Ribeiro

      oi, Lysia! ah, se você conseguir, veja! é muito maravilhoso ♥ tenho certeza que você vai gostar.
      e brigada pelo carinho ♥

  2. Ni comentou:

    Poxa que lindo. É tão difícil olharmos para as pessoas e entendermos do que elas realmente precisam. Vivemos correndo e buscando e tudo. Vou assistir esse filme, fiquei curioso.

    1. Maki respondeu Ni

      oi, Ni! não é um filme é uma novela coreana :)

  3. Nathacha Baggiotto comentou:

    Tá todo mundo assistindo esse dorama e eu tô ficando pra trás socorro hahah. Nem comecei a ver e já morrendo de amores, preciso começar a assistir JÁ!!

    Post como sempre LINDO LINDO LINDO, nem preciso dizer que eu amei,né?
    Não sei se mais alguém tinha pedido, mas…AAAAAAAAAA obrigada por ter atendido ao meu pedido hahahah ❤

    1. Maki respondeu Nathacha Baggiotto

      ahahahahaha que bom que você gostou Natacha! fico feliz! E ASSISTA, POR FAVOR! esse drama é lindo demais ♥ me fala o que você achou depois?

deixe seu comentário