sobre o melhor presente que eu já recebi

melhor presente detalhes

Foto: Luisa Chequer Fotografia

no meio da semana, eu, Lominha e Mel decidimos os temas do detalhes desse mês. automaticamente, entrei num estado de tela azul do Windows: ‘meu Deus do céu, não tenho ideia do que falar no primeiro tema de dezembro‘.

sim, como você deve ter adivinhado pelo título, o tema é um presente que a gente ganhou e que marcou a nossa vida, de alguma forma. e fiquei bem surpresa ao perceber que… nada. eu não lembrava de nada. de nenhum presente que tivesse me marcado o suficiente para virar um post.

não me entenda mal, não é que eu seja ingrata pelas coisas que ganhei em aniversários e Natais passados. é só que… nada parecia tão importante assim ao ponto de render um post inteiro, sabe? e aí eu precisei parar um segundo e pensar. pensar. pensar. pensar. pensar de novo. eu não dormi. eu tomei café. eu andei de um lado para o outro no quarto olhando tudo o que eu tinha. eu sentei na cama em uma pose contemplativa e tentei esperar a inspiração vir. e aí, quando eu já tinha desistido e tomava a minha xícara de chá resignada, sem saber muito bem sobre o que escrever, me veio o momento EUREKA! pelo qual eu tanto esperava:

o meu maior presente foi a relembrança da vida.

eu sei. é clichê. é meio brega, também. tá liberado me zoar sobre isso, se quiser. de colocar trechos desse post com uma imagem bonita do pôr do sol e jogar no grupo da família no Whatsapp. pouts, pode fazer isso sim. mas é verdade, sabe? é verdade.

eu lembro de uma época (que hoje me parece beeeeeeeeeeeeeeeeem distante), em que viver era horrível. eu não queria levantar da cama. eu pensava em me machucar o tempo inteiro. eu não queria acordar, trabalhar, comer. eu queria definhar. eu queria, sim, morrer. acho que o mais dolorido de tudo é que eu tinha desistido do amor também, e eu tinha certeza que ele não passava de folclore. eu chorava sem motivo e eu tinha certeza que tinha desaprendido a sorrir.

mas aí… mas aí eu fui lembrada, sabe? que existe uma coisa diferente, um outro jeito de viver, uma outra maneira de olhar o mundo, e parece que o meu filme voltou a ser colorido. e ele não era mais só o meu filme, era uma produção gigantesca que envolvia uma galera que estava atrás da mesma coisa que eu: um propósito verdadeiro pra viver. um motivo pra levantar da cama de manhã e passar um dia sem pensar em machucar esse corpinho.

tem presente melhor do que esse? que a vida merece ser vivida? que eu tenho um motivo pra querer acordar todos os dias? a partir daí, as coisas pra mim passaram a ser… só coisas, sabe? não menos ou mais importantes, mas ferramentas que me levam de volta pra esse lugar de lembrança. é tudo um tipo de carinho. e eu comecei a aceitar receber esse carinho, porque é uma expressão do que as pessoas são e do que eu sou também. a gente é tudo um grande novelo de carinho e cafunés e cookies recém-saídos do forno e xícaras de chá quentinhas no meio de uma tarde de inverno com o dueto da Beyoncé com o Ed Sheeran tocado em loop ao fundo.

e a gente esquece mesmo, entende? a gente se perde no meio desse mundão todo. das notícias ruins na TV. dos tuítes passivo-agressivos sobre chefes. naquela reclamação sobre o clima que parece inocente, mas tem toda uma carga de ‘a vida é um saco‘. o meu maior presente foi me lembrar da vida.

e é engraçado, porque é e não é um presente ao mesmo tempo. porque ela tava lá o tempo todo! eu só tava muito distraída pra ver. daí um dia eu decidi ver um pouquinho, uma frestinha na porta que foi aumentando, aumentando e aumentando até que eu me vi no meio dessa sala toda iluminada e cheia de flores coloridas, rindo à toa de uma borboleta que pousou no meu nariz. eu achava que a vida não tinha mais jeito. daí me falaram que tinha sim, boba, é só olhar pro lado de cá e BAM. lembrei.

hoje, se eu ganho um presente, ele não é ‘especial‘. ele é carinho. tanto quanto os cafunés que eu ganho de vez em quando. tanto quanto tomar um café da manhã gostoso com alguém que eu amo. tanto quanto um abraço apertado depois de alguns dias sem encontrar alguém, sabe? é tudo demonstração de carinho.

então, sim. eu vou bancar a breguice de filme da Sessão da Tarde. eu vou dizer que a vida é o meu maior presente, porque é pela lembrança dela que eu agradeço todos os dias quando acordo e acho que me esqueci de novo. quando eu sinto que tô caindo e OPA PERA TÁ TUDO BEM A VIDA TÁ AQUI. ufa, foi quase.

daí eu mando áudios meio chorosa pras amigas tentando lembrar elas disso. e eu me sinto útil. me sinto completa. feliz. eu coloco um pouquinho disso nos meus textos também. e quando eu dou bom dia pro porteiro do meu prédio. e eu treino distribuir essa lembrança por todos os lugares que eu vou e com todas as pessoas que eu encontro. tentando levar cada uma delas pra esse momento eureka também. esse é um presente que todo mundo merece, sabe? inclusive, já falei um tantão sobre isso aqui.

é. vou bancar a frase motivacional de que o maior presente que a gente tem é a vida. porque é. no fundo, é tudo o que eu quero. se eu ganho uma caneca bonita no meio do caminho, um livro, um sapato, um abraço ou um beijo. é tudo carinho. tudo mais uma lembrança disso. tudo motivo de alegria. tudo, tudo, tudo.

sei lá. não consegui pensar numa coisa legal que eu ganhei (foram tantas!), mas consegui pensar na vida de novo e isso me deixou contente. acho que presente tem dessas, né? a gente olha, sorri, lembra de uma coisa legal e segue em frente. daí olha de novo, lembra de novo e assim vai. até que não precisa de lembrança mais porque tá ali, sabe? o presente tá ali.

este post faz parte do projeto detalhes, uma blogagem criativa criada por desancorando + sernaiotto +serendipity  saiba mais sobre o projeto clicando aqui e confira os posts já publicados aqui.

projeto detalhes novo

12 comentários

  1. Sylvia Gracie comentou:

    Obrigado por me lembrar. Por um momento pensei em coisas, e faz tanto tempo q não ganho presentes.. me senti triste por não ganhar nada mas aí vc me vem com esse texto. Cai pra trás e me emocionei muito. Não tem presente mais maravilhoso do que esse último ano dedicado a mim, a Vida e a Deus. Obrigada Má 🙏🏻

    1. Maki respondeu Sylvia Gracie

      sua maravilhosa! eu te amo tanto, Syl! e a gente já tem o melhor presente. não precisa de mais nada mesmo ♥

  2. Que texto lindo Maki! Sempre me identifico com o que você escreve. Fico aqui pensativa com a minha própria vida…

    Estou adorando o projetinho de vocês. Com certeza está inspirando muita gente! ♥

    1. Maki respondeu Claudia Hi

      brigada, Claudia! eu fico tão feliz com esse feedback, sabia?

  3. Ellen comentou:

    Maki, me identifiquei tanto!
    Esse com certeza foi o maior presente que ganhei também, sair da depressão e ter vontade de viver novamente <3

    Queria muito participar dessa blogagem coletiva, qualquer pessoa pode?

    Beijo!

    1. Maki respondeu Ellen

      Ellen, que bom saber disssooo ♥ sério, fiquei muito feliz!
      por enquanto o projeto detalhes ainda é fechado – é um exercício pra Lominha, Mel e eu, sabe? talvez a gente abra no futuro, mas por enquanto fica entre nós mesmo. mas o amorzices é aberto e qualquer pessoa pode participar!

  4. iza comentou:

    Fiquei emocionada em ler isso, sérios. meus olhos encheram de lágrimas, deve ser porque me identifiquei muito. encontrar motivo pra viver e agradecer é incrível e faz muito bem. quando estou em meus dias ruins, penso nas coisa boas, simples e de grande valor que tenho. meus olhos que veem, minha mao que desenha, algo bem bobo mas que sem eles eu não faria o que faço.
    Amei demais deu post e ele deve ser compartilhado <3

    1. Maki respondeu iza

      ahhh, Iza. sim, é bom demais a gente lembrar da vida, sabe? porque a gente se distrai muito com coisas que não são, entende? e aí a gente focada nisso e esquece que já tem tudo o que precisa pra ser feliz

  5. Você como sempre é inspiradora em seus posts Maki. Consegue transmitir coisas boas e faz sentido que o melhor presente seja você relembrar como é bom viver.

    1. Maki respondeu Clara Rocha

      ♥ brigada, amorzinho!

  6. tá tudo bem estranho por aqui, mas me senti muito abraçada com esse post <3

    1. Maki respondeu Wanila goularte

      *abraça apertado*

deixe seu comentário