daí que eu tirei a carne vermelha da alimentação

tirei a carne vermelha

teve um dia que eu saí pra comer com uma galera e alguém me perguntou assim ‘Maki não vai comer carne, né? cê é vegetariana, certo?‘ e eu pensei ‘uéééé, de onde veio isso?‘. na verdade, não era tão surpresa assim. desde que eu comecei a minha reeducação alimentar, eu percebi que comer carne vermelha tem uma vibe, uma sensação, que não tava mais combinando comigo. parecia não fazer sentido eu continuar comendo aquilo todos os dias, sabe?

eu nunca pensei em ser vegetariana, mas a ideia veio na minha cabeça várias vezes no último mês, aparentemente sem motivo. o incômodo foi tanto que eu decidi mandar uma mensagem no meio da madrugada pro meu nutricionista (limites: não tenho) sobre o assunto. minha consulta foi na semana passada, e a gente decidiu tirar uma coisa por vez. primeiro a carne vermelha, depois o resto, se essa minha vontade continuar.

o mais importante, pra mim, não era o fato de comer ou não carne, mas pensar no efeito que isso teria no meu corpinho. se a meta é cuidar de mim, é distribuir carinho, isso precisa ser feito com carinho também e eu preciso pensar em como essa mudança afetaria a minha vida e se teria alguma diferença na minha saúde, sabe? por isso é tão importante o poder de uma orientação.

quando eu comecei essa brincadeira de cuidar da alimentação, o maior desafio era acreditar que o nutricionista sabia mais do que eu, e seguir tudo o que ele me disse. tanto que no último mês e meio eu dei uma bela escorregada (alô, aniversário e o brunch de café da manhã mais incrível dos últimos tempos), mas com essa mudança, eu decidi que ia levar a sério a orientação mais uma vez.

tirar a carne vermelha

troca a carne vermelha pelo grão de bico, a lentilha e o feijão branco. continua tomando os complexos vitamínicos. mantém o franguinho à noite, mas vamos deixar o almoço livre de proteínas animais. vai testando, vê se dá certo. coloca mais opções nas outras horas do dia pra você não ter vontade de escapar, come direitinho e não pula nenhuma refeição, tá bom? lembra de tomar bastante água. se quiser muito comer uma carne, deixa pro jantar livre da semana. vai sentindo.

confesso que ontem foi a primeira vez na vida que almocei grão de bico por livre espontânea vontade. com legumes. e com macarrão de arroz. e eu gostei. e tava uma delícia e quero comer isso de novo (e provavelmente vou, porque fiz pro resto da semana).

se eu falar que tem só a ver com a carne e os animaizinhos (por mais que eu ame os animaizinhos), eu estaria mentindo. eu só percebi que comer carne vermelha não tem nada a ver comigo, com a pessoa que eu sou hoje, nesse momento. pode ser que eu volte a comer um dia? pode sim. pode ser que eu não coma nunca mais na vida? pode ser também. pode ser que eu vire vegetariana de verdade? claro, desde que seja muito bem orientada (inclusive, vou num nutrólogo pra ver tudo isso com mais detalhes e não dar brecha pra deixar de consumir coisas que são importantes pro corpo ficar bem).

as possibilidades são infinitas, e nem vale a pena eu ficar pensando em cada uma das variáveis e dos ‘e se’ que eu consigo imaginar com essa história. mas é simples: agora, nesse momento, comer carne não combina. pode combinar depois, pode continuar não combinando, mas agora é isso que eu tô sentindo.

então, eu tomo a decisão cuidando. pensando com carinho, estudando sobre e ouvindo o que o meu coração tem a dizer sobre as coisas. ‘tá comendo esse tanto de bolacha porque, dona Maki?‘ ‘ah, tô  meio ansiosa e preciso ocupar a boca‘. ‘e esse hamburgão aí é por quê?‘ ‘vishi, nem tinha reparado que pedi hambúrguer, puro hábito‘.e assim a gente vai, um dia por vez.

mas quer você coma carne, quer viva de grão de bico (amo ♥), o mais importante é fazer com carinho, é cuidar com carinho, é prestar atenção no que o coraçãozinho tá dizendo é olhar pro prato de comida e falar ‘brigada, comidinha, por me ajudar a ficar no mundo mais algumas horinhas e distribuir amor por aí‘, e segue orientação, e toma a vitamina e confia que tá tudo certo (porque tá mesmo).

como é a sua relação com carne vermelha? me conta nos comentários ♥

19 comentários

  1. Paty comentou:

    Oi Maki! Saudade de passar por aqui. Sou das leitoras contemplativas hehe
    Olha, eu não como carne vermelha desde 2008, no meu caso, foi pelos animais, mas eu tb não era a louca do churras, então foi relativamente fácil. Aos poucos fui deixando as outras, e hoje não como nenhuma, aprendi a cozinhar e experimentar novos sabores, (mas não fico militando e nem enchendo o saco de ninguém!)
    Amo queijos e leite, então acredito que não consigo ser vegana e nem tenho essa pretensão.
    Aliás, um dos melhores burgers que comi na vida era ovolacto….Uma guloseima….empanado crocante, feito de batata e champignon, recheado com shimeji, shitake e queijo. Aff…de babar.
    Aliás se vc reparar hj têm muitos lugares aderindo as comidinhas sem carne.
    Já comeu coxinha de jaca? é de comer rezando, juro.
    beijos! ;-)

    1. Maki respondeu Paty

      menina, já me falaram disso, sabia? coxinha de jaca! fiquei curiosa pra experimentar ♥

  2. Carla comentou:

    Oi Maki! Tô me sentindo a “diferentona” agora, pq eu adoro carne vermelha! Como todos os dias e não sei se consigo ficar sem, parece que se eu não comer eu não fico satisfeita, sabe? Ainda fico com fome. Ainda mais pra mim, que segui por um tempo uma dieta bem low carb, não entra na minha cabeça ficar sem carne, prefiro cortar arroz e pão do que carne, e pra mim é melhor assim, meu corpo responde melhor. Acho muito complicado seguir uma dieta sem carne, pq a sociedade é voltada para uma alimentação com carne. As pessoas não entendem e sempre fica aquele clima meio chato. Falo isso pq minha irmã mais velha optou por parar de comer carne e vejo o quanto ela “sofre” com questionamentos e falta de opções de comida. Mas é uma escolha né? Sendo consciente e não por modinha, acho que cada um deve fazer o melhor para si. E respeito acima de tudo. :D Beijos

    1. Maki respondeu Carla

      ei, Carla! imagina, você jamais vai ser diferentona. é uma questão de sentir mesmo, sabe? ♥ nesse momento, eu senti que isso era melhor pra mim. e seguimos! se vai ser difícil ou não encontrar opções pra comer, só o tempo vai dizer, mas o principal é que eu não vou, jamais, abrir mão do relacionamento por causa disso. ficar sem comer carne é uma opção minha, mas eu te garanto que é uma opção minúscula perto da minha meta de ser feliz e ajudar as pessoas a chegarem no mesmo lugar que eu ♥ comer ou não carne é só um detalhe nesse plano, sabe?

  3. Maki linda! <3
    Acho que somos gêmeas, sério!
    Estou em transição para o vegetarianismo. Desde o Natal do ano passado não como mais carne. E já estou tirando o frango e o peixe do cardápio também (já faz uma semana que não como nenhum dos dois!).
    Realmente, você está certa! Se não te faz bem, tira e substitui de forma inteligente. Se vai se tornar vegetariana um dia, bem vinda ao grupo! Estarei aqui pra te apoiar sempre! <3
    Pra mim, ser vegetariana significa ser amor. Não causo sofrimento aos bichinhos e me alimento apenas de vida.
    Mas é algo que não deve ser imposto. Deve ser algo que vai partir do seu coração. E isso vai te fazer um bem absurdo!
    Se quiser, assista à alguns documentários disponíveis no Youtube e no Netflix a respeito do vegetarianismo/ veganismo. Serão informações bem úteis pra você entender sobre como esse tipo de estilo de vida pode fazer bem! Indico Cowspiracy, What The Health, Food Choices, A Carne é Fraca (com algumas cenas um pouco fortes, recomendo assistir apenas se tem "estômago" pra aguentar) e Terráqueos (com várias cenas fortes, eu não consegui assistir até o final).
    E tem um filme lindo disponível no Netflix chamado Okja. Não tem cenas fortes mas traz muita reflexão à respeito do assunto. :)
    Beijos. <3

    1. Maki respondeu Carolina Garcia

      ah, Carol! cê é tão fofa. realmente, não sei se vou virar vegetariana mesmo, mas esse é um começo de olhar pra tudo isso com mais cuidado, sempre seguindo orientação e prestando atenção na forma como eu me sinto e do que o meu corpo precisa pra se sentir bem e cumprir a sua função, sabe? brigada pelas indicações, vou tentar assistir as que não tem cenas fortes ahahahah

  4. Acho que já faz um mês que parei de comer carne, eu simplesmente não tava conseguindo comer animais, me embrulhava o estômago e me deixava com vontade de vomitar, real, então parei. E faz um pouco menos de tempos que decidi tirar tudo que vem de origem animal e realmente faz diferença quando vc n é acompanhada por um nutricionista, a gente às vezes fica sem saber o que comer e comer a mesma coisa por falta de conhecimento, então vai devagarinho mesmo, pode ser que vc goste da ideia ou não mas que dá um amorzinho no core saber q n tá machucando um bixinho p se alimentar dá sim haha
    beijos
    Neoguedes

    1. Maki respondeu Bruna Guedes

      é, então. ter uma orientação é o mais importante pra mim porque essa é uma mudança muito radical, né? tem que fazer com cuidado e carinho mesmo ♥

  5. Minha relação com a carne vermelha desde criança nunca foi muito boa não. Desde cedo eu sempre demonstrei meu desagrado em comer…Sei lá, nunca fui muito fã mas não deixava de comer tampouco. Evitava de comer quando era em carne porque sempre odiei e de algumas formas. Até que parou de fazer sentido para mim comer carne vermelha e foia primeira que eu cortei também da minha rotina e confesso que estou bem melhor sem ela.

    1. Maki respondeu Clara Rocha

      pois é, eu não era de comer todos os dias, mas com a dieta passei a comer sempre agora percebi que não tem nada a ver ♥ é um hábito que eu vou ter que mudar também, né? ♥

  6. Adorei o post e me identifiquei, Maki. Já faz um tempinho que tô “perdendo o gosto” por carne, de qualquer tipo. Amo um hamburguer no fim de semana ou um cachorro quente às vezes, mas no dia a dia mesmo não tô tendo vontade nenhuma, mas não paro de comer porque me preocupo com a questão das proteínas. Vou seguir seu conselho e procurar um nutri tb :)

    1. Maki respondeu Wanila goularte

      procura sim, amiga! é a melhor coisa. e tudo bem comer esporadicamente, sabe? a questão é como tirar isso afeta a sua saúde, entende? mas vai num profissional, tira as suas dúvidas e vai na fé ♥

  7. Denise Ilha comentou:

    Oi, Maki! Tenho passado por isso. Desde março não como carne vermelha e nem frango, mas mantive peixe e frutos do mar esporadicamente. Foi uma questão do meu momento espiritual também, de não levar sofrimento para o meu corpo. Também digo que se quiser muito comer carne, comerei, mas terá que ser uma ocasião bem especial. Evito ao máximo. Fiz por conta própria a transição, mas penso em consultar um especialista logo mais. Tu pode me indicar os teus, hahaha? Eles atendem por convênio? Beijão

    1. Maki respondeu Denise Ilha

      então, eu só não fiz sozinha porque sei que isso pode ter um efeito pesado no corpo, e como eu tinha deficiência de ferro, precisaria saber exatamente como compensar essa falta, sabe? o nutrólogo que eu vou não atende convênio, infelizmente, mas o meu nutri atende Amil. qual é o seu convênio?

      1. Denise Ilha respondeu Maki

        Bingo! É Amil! Bjs

  8. Mel comentou:

    Maki linda ♥
    Adorei o post :)
    Desde criança nunca me senti confortável com a ideia de comer carne. Sempre me dava uma sensação ruim – não de mal estar físico, mas um incômodo sempre que mastigava um pedaço de carne – e em janeiro de 2014 eliminei de vez todos os tipos de carne da minha vida.
    O problema foi que eu nunca tive uma alimentação muito balanceada (sempre fui muito fresca) então acabei não tendo uma alimentação saudável pro meu corpo e agora estou tentando correr atrás do prejuízo me alimentando melhor. Continuo sem comer carne e não pretendo voltar a comer, mas não gosto da ideia de me prender a rótulos como “vegetariana” ou “vegana” então prefiro continuar assim, sem me definir pro mundo de acordo com o que eu faço ou deixo de fazer ♥
    :*

    1. Maki respondeu Mel

      maravilhosa ♥ eu espero chegar nesse patamar também, Mel! não quero me ater a um rótulo, mas fazer o que eu sentir que é melhor pro meu corpo ficar bem, sabe? e agora, eu tô sentindo que é não comer carne. acho que mais pra frente vou tirar o restante também e vou sentindo o que funciona melhor pra mim ♥ mas tudo com muito carinho e seguindo orientação!

  9. Eu quase não como carne vermelha e não sinto falta nenhuma. Só como quando está no meio de outro prato, como um yakissoba, por exemplo. Mas queijo, nossa eu como muito, adoro. Deve ter sido o meu segundo amor, porque o primeiro é e sempre será o pão! haha

    1. Maki respondeu Claudia Hi

      ahahaha olha eu sempre fui apaixonada por queijo e pão. mas desde que fiz a reeducação alimentar como pouquíssimo dos dois. mas ainda são meus amantes, confesso ahah

deixe seu comentário