5 dicas para desapegar das roupas que você não ama mais

desapegar das roupas

desapegar das roupas nunca foi um problema pra mim. pelo contrário, eu sempre tive bastante facilidade em tirar do armário aquilo que não queria mais. o moletom do meu ex-namorado que eu usava pra ficar em casa. aquela blusa tie-dye rosa que minha mãe me deu quando eu tinha 15 anos. o meu vestido de formatura da faculdade. tchau, goodbye, adiós, à bientot. nem pensava duas vezes.

quando comentei que a parte mais fácil do processo de refazer o guarda-roupa era limpar o armário, eu falei sério. para mim, o problema nunca foi tirar dali o que eu tinha que tirar ou o que eu sentia que não funcionava mais pra mim. o mais difícil, o mais complicado sempre foi conseguir repor o que eu tirava de lá.

sim, eu confesso que ainda tenho algumas camisetas de valor sentimental escondidas em uma gaveta intocável (e intocada) no armário. mas elas também estão com os dias contados. acho que já passou do tempo de eu deixar a camiseta que a minha sala do 3º ano fez pra formatura (beijo, 3H3!) juntando pó só porque eu tenho certeza que ‘um dia‘ ela vai ser usada (mentira, não vai). então, //comofaz pra desapegar como você, Maki? assim, ó:

1.eu estabeleço uma meta

e tudo – eu disse escrevi tudo – o que não faz parte dessa meta, vai embora. é mais ou menos assim: pra esse novo guarda-roupa, eu precisava de peças que me representassem de verdade, e queria muito que cada uma dessas roupas combinassem perfeitamente entre si. assim, tudo o que não entrava nesse âmbito, nessa meta, ia embora. eu nem pensava duas vezes. se não combinasse ou se não estivesse de acordo com a meta… tchau.

2.eu agradeço

cada peça teve o seu propósito na minha história. eu comprei por um motivo, eu achava que combinava comigo por um motivo, eu investi nela por um motivo, eu guardei por um motivo. eu consigo ser grata por cada uma das roupas que eu usei ao longo da vida, porque cada uma delas foi importante nesse meu processo – por mais que muitas vezes eu não tivesse noção nenhuma do que estava fazendo com o meu estilo. não é muito mais legal ficar feliz pelo tanto que você usufruiu de uma coisa ao invés de ficar triste de vê-la indo embora? eu acho que sim! falando nisso…

3.eu penso em quem pode usar aquilo também

toda vez que eu limpei o meu armário, eu separei uma penca de roupas pra vender e outra penca pra doar. é óbvio que, para as duas opções, eu só deixei em cada uma das pilhas as roupas que estavam em bom estado (não vale doar roupa manchada ou rasgada, né?) e sempre me deixou feliz saber que outras pessoas poderiam usufruir do que não me servia mais. um dos lenços que eu mais usei por ANOS foi comprado de uma amiga por R$15 – ela não queria mais e me vendeu. a minha jaqueta jeans preferida eu comprei num brechó, e um dos vestidos do meu armário que mais anda sozinho é um que uma outra amiga me doou também. a gente fica triste em tirar um negócio do armário, mas não pensa no quanto isso pode fazer outra pessoa feliz.

4. eu pratico o armário cápsula

é, não mais daquele jeito super engessado de antes, mas eu ainda mantenho o meu armário bem reduzido. o número de roupas que eu tenho é pequeno, então o desgaste de cada uma delas é maior. eu ainda não consegui fazer a transição completa para só comprar roupas de qualidade maior e de marcas que são independentes e bacanas (tá nos planos) ou só em brechós, mas o fato de eu rever o que tenho no armário com frequência tem me ajudado também nesse processo – e aí vai tudo ficando alinhado ainda mais com a meta.

5.eu me dou tempo para pensar

se tem uma peça de roupa que eu gosto bastante, mas que não uso tem um tempo, eu dou uma segunda chance. eu sigo bem à risca aquela regrinha do ‘se você não usa há 6 meses, então não vai usar mais‘ e também a do ‘se você não sente falta, é porque não precisava pra começo de conversa‘. uso muito essas duas filosofias pra me ajudar a desapegar das roupas porque ela é muito simples e verdadeira: não dá pra insistir num negócio que você gosta, mas não usa. no fim das contas, só vai ficar juntando pó no armário.

 

acho que é isso, viu? paciência é uma virtude mesmo, também pra esses momentos. se eu tô em dúvida, deixo a roupa ali no armário um tempinho, marinando, até que eu olho pra ela e me vem um clique: ‘é, não vai dar certo mesmo, hora de você fazer outra pessoa feliz‘. roupa não é descartável, sabe? tirar do guarda-roupa uma blusa que você amou muito um dia não significa jogá-la fora (a não ser que ela esteja toda estragada, né?), mas sim dar um novo propósito para esse tecido. no fim, eu faço o que preciso pra me sentir bem com as roupas que tenho e com a forma como visto – e tenho me sentido cada vez melhor! ♥

você tem algum segredo pra desapegar de roupas? me conta?

banner beda desancorando

 

 

15 comentários

  1. Ai que lindo esse post <3
    Eu tenho esse lance de desapego muito comigo, quando me mudei separei muita roupa que não usava mais para doar e deixei duas calças ali, pra mim pensar e menina, não é que eu estou usando mesmo as calças? Achei que não iria acontecer mas aconteceu e estou feliz. Estou descobrindo novas combinações dentro do meu próprio guarda roupa e abrindo espaço para outras coisas. Meu sonho é me desapegar de tudo (ou quase tudo) e criar um armário completamente novo porque eu mudei muito, meu estilo mudou demais, mas ainda não estou $podendo$, mas quem sabe ano que vem?!

    Ah, eu amo muito brechó, tenho que dar uma passeada pelos brechós aqui da minha cidade, tem um pertinho de casa que tem roupas muito lindas e ainda não fui lá olhar (moro dois meses aqui) mas quero muito ir. Acho que comprar em brechó é sempre uma boa ideia.

    Beijos da Pink do blog Pink is not Rose 🖤

    1. Maki respondeu Carol Justo

      Carol, às vezes você não precisa fazer como eu que mudou tudo de uma vez. vai aos pouquinhos, sabe? pensa no quanto você pode gastar por m~es e nas peças que você quer mudar. tem jeito ♥
      e brechó é muito amor! algumas das minhas peças preferidas da vida eu comprei em brechós.

  2. Daniss Gomes comentou:

    Meninas sigam personal organizers no insta, elas me inspiram a largar o q não vale a pena!!!

  3. Estou nessa fase de desapegar do que eu não uso. Eu sempre fiz limpezas esporádicas no meu guarda roupa e achava que era livre de apego material. Mas a verdade é que metade das minhas roupas eu não usava. Algumas ainda estavam novinhas mas achei que era hora de mudar e doar/vender o que eu não usava, por mais bonito (ou sentimental) que fosse. E olha, dói viu, dá MUITA dó! rs

    Adorei o layout novo! Ficou super clean e levinho!

    1. Maki respondeu Claudia Hi

      ah eu entendo viu. eu tive uma época de sentir essas dores também, mas agora é mega fácil. sempre penso que elas podem fazer outra pessoa feliz ♥

  4. Isa comentou:

    esse é meu maior desejo do momento, sabe? conseguir fazer uma limpa EFETIVA no armário, com foco (fé e força hahaha) e que deixe um resultado realmente com a minha cara, sem “aparas'” que aaaaah depois eu vejo isso…. suas dicas ajudaram muito! se eu consegui colocá-las em prática, volto pra te contar <3

    1. Maki respondeu Isa

      Isa, faz isso sim! se der certo, você me conta e a gente troca figurinhas ♥

  5. Maki, eu pisquei seu layout mudou, que lindo <3
    Essa semana tirei mais de 30 peças do armario. Fiquei muito feliz com a conquista haha também penso nas pessoas que vão poder usar as minhas roupinhas e ficar muito feliz.
    Inclusive estamos organizando um bazar em sampa, se voce tiver interesse em participar me avisa hehe
    beijos

    1. Maki respondeu cintia de melo

      pois é! eu ainda tô ajustando, mas tá lindão, néam?
      ahhhh que maravilha! olha, eu tava organizando um brechó com umas amigas, mas se não rolar, eu super tenho interesse, viu?

  6. Mafê comentou:

    Eu amei as dicas, real oficial. Estava precisando de um pouco de foco para conseguir reorganizar meu guarda-roupas, que sofre com acúmulos atrás de acúmulos, embora eu sempre escolha as mesmas peças. Vou tentar (outra vez).

    Obrigada por este post.

    1. Maki respondeu Mafê

      tenta e depois me conta se deu certo ♥

  7. AMEEEI esse post!
    Sou bem assim também e amei as dicas.
    Eu ainda tenho algumas peças com apego sentimental… Por exemplo uniforme do cursinho pré-cefet (que ficou 100% sem sentido falando assim) e uma blusa do pequeno principe que é linda maravilhosa amo minha cara… Mas não serve mais em mim e não quero que volte a servir porque é de uma época que eu tava MUITO magra e me incomodava com isso. Mas queria achar uma igualzinha pra comprar do meu tamanho enão consigo doar ela kkkkkkkkk
    Acho que é a parte mais difícil mesmo.
    Beijos!

    1. Maki respondeu Laura Nolasco

      hahahahah ♥ ♥
      pois, acho que todo mundo tem uma camiseta com esse nível de apego, sabe? ahuahauah mas o importante é perceber que não tem porque a gente ter medo de doar o que não vale mais pra gente, sabe?

  8. Roberta comentou:

    também tenho praticado essas “regrinhas” e livrei um baita espaço no meu guarda-roupa, fiquei tão bem depois! <3
    a gente de fato não precisa de tanta coisa, né? hehe
    bjo!

    1. Maki respondeu Roberta

      nossa, não mesmo! fora que dói o coração ver coisa boa sem usar, né?

deixe seu comentário