como não enlouquecer trabalhando sozinha

se você acompanha o desancorando há um tempo, sabe que eu trabalho de casa porque sou freela. eu sou bem apaixonada por essa vida e todas as suas emoções (alô, expediente de 12 horas), mas confesso que foi todo um processo pra me adaptar a trabalhar “sozinha

coloquei o “sozinha” assim, entre aspas, porque dificilmente eu estou sozinha. eu tenho chefes e colegas de trabalho com quem converso diariamente, mas fica tudo no âmbito do virtual. a gente faz reunião por videoconferência (muito moderno, se você quiser saber a minha opinião), conversa pelo Slack o dia inteiro, às vezes eu tenho umas reuniões presenciais… mas, sim, a maior parte do tempo sou euzinha dependendo de mim mesma pra me motivar a trabalhar.

eu fui demitida do meu trabalho ~tradicional~ em junho (ou julho?) de 2015 – e foi a melhor coisa que me aconteceu, porque já não estava dando certo. eu já tinha alguns freelas naquela época e percebi que queria mesmo seguir com essa vida, ter essa flexibilidade de horários e tentar o máximo de experiência que eu poderia conseguir, escrevendo pra vários lugares diferentes (outra coisa que eu consegui!).

mas o mais difícil foi estabelecer o ritmo e não ficar completamente maluca, conversando com as paredes ou estabelecendo longos diálogos com a cachorrinha da casa da minha mãe, a Olivia. (nessa parte, eu fui totalmente má-sucedida porque conversava com ela diariamente sobre tudo o que vinha na minha cabeça).

foi um treino e eu custei um pouco a pegar o ritmo. hoje já estou totalmente acostumada e já sei quando preciso mudar de ambiente e o que fazer pra não me sentir tão só (eu ainda não citei propósito nesse post, né? então: propósito!). pensei em dividir algumas coisas com você:

1.mudar de ambiente de vez em quando

quando eu morava na casa da minha mãe, eu peguei o costume de ir trabalhar no Starbucks que ficava a algumas quadras dali uma ou duas vezes na semana. era bom mudar de ambiente, ver gente e comer uma coisinha gostosa. fora que, quando eu tava bem predisposta a procrastinar horrores, ir para outro lugar me coloca no modo foco total. afinal, eu saí de casa só pra fazer isso, né? agora que moro com outras pessoas e em outro bairro, eu mantenho a tradição. duas vezes na semana vou trabalhar lá no prédio da Coexiste, em algum cafézinho de bairro que tem por aqui (minha nova paixão – encontrar lugares diferentes pra passar a tarde escrevendo). quando preciso trabalhar de final de semana, costumo ir pra Paulista e sentar num Starbucks por lá mesmo – faço tipo o que as pessoas fazem num dia normal: pego ônibus, levo mala e cuia e remonto meu escritório. é sempre bom sair das quatro paredes de sempre.

2.nunca, jamais, em hipótese alguma trabalhar da cama

essa regra eu estabeleci logo nos primeiros dias que comecei o homeoffice. percebi logo de cara a tentação de trabalhar deitada na cama, jogada entre as cobertas. mas isso é horrível por dois motivos: 1) você fica muito preguiçosa e com vontade de passar o dia todo dormindo; e 2) faz miséria com a sua coluna. coisa de vó, eu sei, mas é verdade. então, a cama está totalmente fora de cogitação. a única exceção é quando eu coloco o laptop na cama pra ver um filme ou alguma coisa assim antes de dormir. fora isso, eu preciso sentar na escrivaninha, na cadeira de trabalho, pra fazer as minhas tarefas.

3. ter uma rotina tipo a das pessoas que trabalham fora

eu acordo às 07h todos os dias. tomo banho, me arrumo (coloco roupa de verdade e não um pijama ou roupa de ficar em casa), tomo café da manhã e aí sento na mesa pra começar a trabalhar por volta de 08h30 ou 09h, depende do dia. esse ‘trabalho‘ inclui fazer coisas do blog ou algum freela que eu preciso resolver antes do meu trabalho fixo, que começa às 10h. tem dias que eu aproveito esse tempo extra pra ler ou pra me atualizar no mundo, ver meus MVs de kpop (amo) ou fazer fotos pros posts. varia bastante. mas a norma é sempre começar mais ou menos no mesmo horário e fazer todo esse processinho. eu fecho a lojinha às 19h, saio do computador e me arrumo pro treino ou pras aulas que faço à noite.

4.conversar com alguém

é normal eu ficar tão envolvida no trabalho que passo horas e horas sem falar com ninguém. daí vem aquela dorzinha no coração e aquela vozinha na cabeça me falando ‘meu Deus, eu tô muito abandonada aqui em casa‘. nessas horas eu paro, faço uma pausa, chamo uma amiga pra conversar na internet mesmo, desço pra conversar com o porteiro aqui do prédio (faço muito isso), dou uma volta no quarteirão… eu saio da minha cabeça pra olhar pra fora e lembrar que essa história de que eu tô sozinha é mentira.

5.aliás, fazer intervalinhos

trabalhar de casa tem dessas: o ~cliente~ acha que você não tem hora pra terminar de trabalhar e você sai emendando um trampo no outro até que são 23h e você não levantou da cadeira nem uma vez. eu ando pecando um pouquinho na parte dos intervalos, ultimamente (mas pretendo corrigir isso esse mês!), mas eles são a coisa mais importante, principalmente pra você sair dessa visão tão fechada de que não tem ninguém por perto. fisicamente, pode até ser isso mesmo, mas a solidão só existe na mente. quando a gente tá muito apegada aos próprios pensamentos, é fácil mesmo achar que tá completamente sozinha no mundo, quer você seja freela ou não.

6.música!

preciso mesmo falar o quanto a música é importante nesse processo todo? não, né? acho que já falei muito disso por aqui. mas música é o que me move, é o que me deixa focada e o que me ajuda a não enlouquecer 90% do tempo.

pra mim, a parte mais difícil foi ficar tanto tempo dentro do meu quarto. por isso eu uso qualquer oportunidade que posso pra sair dele, dar uma volta, ver outras pessoas e mudar um pouco de ambiente. hoje em dia, tudo isso é mais tranquilo, e apesar de ter os meus momentos de ‘meu Deus, quero quebrar as paredes desse quarto com uma marreta‘, eu já sei como sair rapidinho dessa sensação.

você trabalha sozinha? o que te ajuda a não ficar maluca?

banner beda desancorando

10 comentários

  1. Chell comentou:

    Faço exatamente isso que tu faz hahaha. É muito importante manter um horário “fixo” pra gente se organizar e não extrapolar. Eu só não mudo o lugar porque meu PC é desktop e ai não rola sair por ai com ele hahaha, mas sempre que dá eu vou desenhar em algum lugar =D

    “faz miséria com a sua coluna” hahaha por este motivo eu nunca nem tentei trabalhar da cama, mas é um bom conselho uahuahuaa

    1. Maki respondeu Chell

      mas num é, menina? eu tentei uma vez só e quase morri de dor no dia seguinte. pra nunca mais!

  2. Isa comentou:

    fora a mania – nossa (de quem trabalha em casa) e dos empregadores – de achar que, porque trabalhamos de casa, estamos 100% do tempo disponível pra tudo, né? estabelecer esses limites, em qualquer trabalho, faz com que a gente não enlouqueça mesmo!

    1. Maki respondeu Isa

      nossa, com certeza! porque parece que você não tem um horário formal, então tanto faz, né? saber quando começar e quando parar é muito importante!

  3. Loma comentou:

    Ah, que post maravilhoso! Me ajudou muito, pois ainda sou bem indisciplinada no que diz respeito a rotina de home office. Eu já tenho dificuldade em escrever com música rolando, acredita? Mas as outras dicas foram incríveis, principalmente a dos intervalos. Tem dias que tô num embalo, que nem almoço (que fio, né?). Beijos!

    1. Maki respondeu Loma

      menine, eu aprendi a escrever com música nos tempos de fanfic (!), quando precisava focar e não gostava do silêncio que ficava em casa à noite. mas entendo quem não consegue, tem que ter disciplina pra não focar numa coisa e esquecer a outra hahaha. nossa, e super entendo isso de esquecer até de almoçar. já rolou muuuuuito comigo! hoje eu tenho alarme até pra parar de trabalhar! ahahah

  4. Para mim acho que a pior parte de trabalhar sozinha em casa, é que eu sinto dores de cabeça as vezes de ficar sentada o dia todo. Então quando estou bem saturada invento até coisas para fazer, como preciso ir na feira e ai levanto e vou comprar uma fruta porque não dá pra ficar o tempo todo dentro de casa. E queria tanto me exercitar. isso é uma coisa que eu gosto tanto e não estou conseguindo…

    1. Maki respondeu Clara Rocha

      ah, total! eu sempre acho algum motivo pra levantar da cadeira e pra sair um pouquinho de casa. é bom mesmo! e miga, a gente já conversou sobre isso! ahahaha sai pra caminhar, pra correr na orla… tem opções!

  5. Obrigada mesmo pelas dicas. Eu estou querendo começar a trabalhar sozinha em casa é esse post foi excelente!

    1. Maki respondeu Bruna Morgan

      que bom que te ajudou, Bruna! ♥

deixe seu comentário