a gente precisa parar de ser tão obcecado com produtividade

dia desses, eu tava lendo os meus emails e percebi que era o segundo ou terceiro dia seguido que recebia do Medium textos sobre produtividade e como produzir mais e melhor. ok, eu entendo que esses textos foram selecionados com base no que eu tenho costume de ler, mas fiquei pensando em como as pessoas são obcecadas por produtividade.

eu tive uma chefe que costumava contar quantas matérias eu escrevia num dia. eu trabalhava num sistema de meio período na época, e se fizesse menos de 10 textos no meu horário, alguma coisa estava errada. como resultado, eu desenvolvi o hábito de escrever muito rápido só para conseguir bater essa expectativa. no fim do expediente, eu sempre me sentia muito cansada e sabia que o nível de foco que eu tinha era muito baixo: eu precisava me colocar num modo automático, se não o conteúdo não saía. pode-se dizer que eu era altamente produtiva (mas a que custo, né?)

dois anos depois, eu levo a rapidez do teclado comigo, e quem me acompanha no Twitter sabe que os problemas de foco não cessaram só porque eu deixei de escrever esse tanto de coisa em tão pouco tempo. parece que eu preciso sempre encontrar formas e métodos de escrever melhor, de produzir mais, de acabar com a procrastinação…

por mais que eu ainda passe muito tempo pesquisando sobre agulhas de crochê na internet, sendo que nem crochê eu faço, eu percebi essa semana que essa falta de foco tem pouquíssimo a ver com a minha organização. tipo, eu sou a rainha do bullet journal, gente, organização é o que não falta por aqui.

é falta de propósito mesmo.

eu percebi que toda vez que não sei porque tô fazendo as coisas que preciso fazer, eu fico confusa, meio perdida, sem saber o que fazer, desmotivada, e assistir pela milésima vez o clipe de Really Really no Youtube parece muito mais interessante do que a minha lista de tarefas.

tá, quando a cabeça tá muito maluca, eu consegui desenvolver alguns truquezinhos para me ajudar a focar de novo. a música tem sido a minha principal ajuda. eu ando tentando dividir o meu dia em blocos de horário também, mas não sei até que ponto isso está funcionando. mas acho que, o principal, é saber se eu estou seguindo o meu propósito ou  não.

é tipo quando a gente fica tentando usar milhares de aplicativos de organização diferentes e nenhum funciona. daí a gente tenta mais um e não dá certo. daí a gente pesquisa sobre bullet journal e também não se adapta muito bem. daí volta para os aplicativos. e a gente fica obcecada em pesquisar sobre produtividade e como se organizar e esquece da parte mais importante, que é produzir.

na hora que eu percebi isso, foi como uma tijolada na cara. mas, gente, é claro! eu só preciso parar de me preocupar em ser produtiva e produzir. o ‘como‘, tanto faz. é mais a questão de colocar a mão na massa que me incomodava tanto. e eu não colocava. e achava desculpas do porquê eu não cumpria as minhas tarefas. quando, na real, eu só precisava me fazer duas perguntas:

1.o que diabos eu tô fazendo?

2. por que diabos eu tô fazendo isso?

essa semana, essas duas perguntinhas foram tipo as minhas âncoras. tava lá bem de boa pesquisando sobre as ações russas durante a Segunda Guerra Mundial… OPA, que que eu tô fazendo? por que eu tô fazendo isso? e minha mente voltava automaticamente pra minha meta e pra minha função. e o trabalho fluiu mais fácil. é um exercício, né? e você se sente meio maluca das ideias tendo essa conversa com você mesma. não ajuda muito o fato de que eu sou altamente expressiva quando tô no computador e gesticulo como se ele fosse me responder a qualquer instante (imagine as conversas que eu já tive com as impressoras…). nessas horas, todas essas dicas de organização e produtividade entram apenas como uma ferramenta para eu cumprir a minha meta, mas não são o meu foco.

eu percebi também que fui diretamente afetada pelo flood de informação que a internet grita na nossa cara todos os dias e senti, mais uma vez, a  necessidade de dar um passo pra trás e selecionar melhor o que eu consumo e quando consumo (ainda mais em mês de BEDA, com tanto texto incrível pra ler, né?).

cada um desenvolve o seu próprio método de ser mais produtivo, mas nenhum vai ser tão eficiente quanto o propósito. fazer as coisas com amor, lembrar do porquê e pensar em quem recebe o nosso trabalho (qualquer que seja ele, em maior ou menos escala) é e sempre será a maior motivação que eu tenho.

você sente que é produtiva? o que te motiva a fazer o que faz?

9 comentários

    1. Maki respondeu Jennifer Constantino

      nessas horas, Jennifer, tudo o que eu posso te dizer é? dá um passo pra trás, olha de novo pro que você tá fazendo e se faça as perguntinhas do post! garanto que vai ajudar ♥

    1. Maki respondeu Tatyanna Gois

      ♥ ♥

  1. marianna comentou:

    Maki sua linda! Que texto incrível!
    Essa semana mesmo estava pensando sobre isso, a minha equipe é a única que não tem métrica de produtividade no meu setor porque trabalhamos com criação e sob demanda. Ou seja, coisas de hoje para hoje mesmo haha!
    A nossa vida anda tão acelerada, é uma chuva de informação, que se não pararmos para respirar que seja vamos no fluxo de quanto mais melhor, tempo é dinheiro e acabamos não vivendo o momento e depois chorando de cansaço e arrependimento.
    É como você disse, entramos no automático e deixamo de fazer as coisas com propósito.
    ps. really really é maravilhoso, assisto mil vezes também haha

    1. Maki respondeu marianna


      exato! a gente não tem ideia do quanto fica no automático em prol da ‘produtividade’ e deixa o propósito de lado, sabe? esquece de colocar vida nas coisas e se perde no caminho. daí a gente fica tanto tempo prestando atenção em como ser mais produtivo que esquece de fazer as coisas mesmo!

    2. Maki respondeu marianna

      ah, e sou muito maluca com essa música, menina! não paro de ouvir!

  2. Que loucura isso do seu antigo emprego… 10 textos em um dia pra ser “normal”? Socorro!
    Amei o post… eu também me perco as vezes e me identifiquei… Mas ultimamente por algum motivo aleatório que nem sei qual é ando bem focada – Acho que foram muitos anos estudando algo que eu odeio e aí quando ia fazer algo que gostava ficava culpada por não estar fazendo o que precisava e por aí ia… – e agora que tô feliz com como a vida tá andando, as coisas tão funcionando melhor!
    Amei esse post! Beijos!

    1. Maki respondeu Laura Nolasco

      não diria que era normal, mas pelo jeito que a empresa funciona, era condizente, sabe? mas era uma pressão e tanto!
      e que bom que você tá focada ♥ quando a gente tá motivada, tudo anda melhor, né?

deixe seu comentário