‘eu não sei fazer igual’ não é desculpa (ou: a saga do bullet journal)

todas as vezes que eu comentei com alguém sobre o bullet journal ou então que fiz posts sobre o assunto, tinha gente que comentava dizendo que não daria uma chance pra esse método de organização porque não tinha o ‘talento’ que a gente via tão bem nas fotos do Pinterest.

o que a gente (eu inclusa) insiste em ignorar – e que eu até comentei no Twitter hoje – é a nossa capacidade de melhorar com o tempo e o treino. parece que a gente tem que nascer fazendo tudo brilhantemente e se tiver uma linha fora do lugar, o trabalho é uma merda e não merece ser reconhecido.

bujo antes e depois

assim como eu escrevi muito nessa vida para escrever bem, as minhas técnicas com o bullet journal foram melhorando com o passar dos meses. em pouco mais de um ano e meio usando esse método, a mudança do meu primeiro bujo para o mais recente (o quarto) é gritante! parece que era uma outra pessoa que fazia aqueles quadradinhos grandes e escrevia de um jeito meio torno com canetas que manchavam a página.

vocês conseguem identificar qual é qual? quem me acompanha no Instagram já deve saber que o caderno que está à direita é o meu bujo atual – logo o que está à esquerda é o primeiro, que eu comecei em novembro de 2015. as fotos foram feitas das primeiras páginas principais, o calendário do mês e o daily log, para vocês terem uma ideia de comparação.

bujo antes e depois

antes eu consigo ver que os traços saiam meio duros e sem fluidez, vindos de uma mão bem insegura. hoje não. eu já consigo fazer letterings (essas brincadeiras com fontes e letras cursivas) com facilidade e sinto que já desenvolvi o meu estilo. hoje em dia é bem gostoso fazer isso, como uma terapia. eu coloco palavras que estão na minha mente no papel e brinco com cores e formatos. é divertido e muito gostoso de fazer.

é mais ou menos a mesma coisa que dizer que você ‘não tem recursos‘ pra fazer alguma coisa. é uma das piores coisas de ser perfeccionista: se você não tem o material perfeito ou o traço mais incrível de todos, não adianta nem tentar. tudo besteira da nossa cabeça, claro.

bujo antes e depois

acho que o meu bullet journal é a melhor prova de que a gente melhora com o tempo – a mão fica mais firme, os traços mais claros, o propósito mais certo na mente, e as coisas perdem essa pressão toda que a gente acha que elas precisam ter. dá pra ser leve, sabe?

se você alguma vez achou que não conseguiria fazer um bujo porque não sabe fazer essas coisas ‘bonitas’, para com isso, menina! é treino e meta: lembra do que você quer fazer com o seu faça! a prática leva à perfeição e tals.

13 comentários

  1. Lidiane Soares comentou:

    Com certeza nos cobramos demais e queremos que tudo saia perfeito mas não é assim, a vida é um constante aprendizado e conhecimento. Parabéns viu com certeza foco e determinação é o que faz a diferença na nossa vida, adorei seu blog!
    @lidiane.ph

  2. Olá
    Eu uso bujo a quase um ano e meio e adoro. No começo eu ficava super insegura, achando que nunca ia conseguir fazer nada certo, nada bonito. Hoje gosto bastante de como faço ele e parei de tentar me comparar com outras pessoas.

    Vidas em Preto e Branco

    1. Maki respondeu Larissa Zorzenone

      arrasou, Larissa! é assim mesmo <3

  3. Lívia comentou:

    Mais verdade impossível!! Percebo a cada dia a melhora com meu Bullet Journal. E o seu já começou bonito, eu realmente não tenho talento, mas o método é prático e eu uso sim!

    1. Maki respondeu Lívia

      é, a gente vai evoluindo dia a dia, né? uma hora a coisa engata e a gente para de pensar que não tá funcionando ahaha ♥

  4. Maki, adoro a forma leve e carinhosa como escreve. O seu blog é muito caprichado.
    Esse texto foi muito importante para mim. Quero começar a fazer bullet e um diário, mas sempre procrastino com medo de ficar feio.
    Obrigada pelas dicas.

    Hida

    1. Maki respondeu Hidaiana Rosa

      brigada pelos elogios Hidaiana! e não fica com medo, não! vai em frente que tá tudo certo <3

  5. Nati comentou:

    Tu sabe que tu tem toda a razão né?
    Achamos que não somos boas o suficiente, porque o reconhecimento só é dado para quem faz com perfeição, mas ninguém lembra da parte que quem faz com perfeição, teve o começo, que também não sabia nada e com a prática se aperfeiçoou. Ninguém consegue perceber esse pequeno detalhe.
    E fora que nós queremos começar algo e ter o resultado/fama/sucesso/reconhecimento pra ontem, sendo que temos que subir um degrau de cada vez ao invés de pegar o elevador.
    Gostei do jeito que tu escreveu.
    Beijos

    1. Maki respondeu Nati

      mas não é, Nati? a gente ignora mesmo que tem um processo, uma jornada que levam a gente do ponto inicial até onde a gente quer chegar. não é de uma hora pra outra ou de um dia pro outro, pelo contrário! a gente precisa começar a apreciar esse meio do caminho, sabe? e agradecer por todas as oportunidades de melhorar e chegar mais perto do que a gente quer.

  6. Isabelle Felicio comentou:

    Essa é a pior desculpa de todas!
    Qualquer coisa que a gente queira fazer só se consegue com prática. Fico tão triste quando vejo comentários das pessoas com vontade de fazer mas não fazem por não terem habilidades. É por falta de tentativa apenas. E o mais triste é que se torna uma resposta pra tudo que a pessoa tenha “medo” de tentar.
    isabellefelicio.blogspot.com.br

    1. Maki respondeu Isabelle Felicio

      sim, isso é verdade. vira uma resposta automática, né? parece mais fácil falar que você não tem talento do que tentar :/
      mas isso é mentira! a gente só aprende mesmo com a prática, e cada dia que você tenta de novo é uma nova vitória ♥

  7. Cristiana comentou:

    Olá! Isto é bem verdade, eu comecei este ano a fazer um pela primeira vez, e achava não ter jeito nenhum para estas coisas e que iria ficar horrível. E, apesar de saber que não está a ficar perfeito, está muito melhor do que aquilo que eu imaginava. E com prática vai sempre melhorando!
    PS: Adoro o teu blog!

    1. Maki respondeu Cristiana

      exato! com a prática melhora muito, né? a gente vai pegando jeito ♥

deixe seu comentário