a única resolução de ano novo que vale a pena fazer

legacy. what is a legacy? it’s planting seeds in a garden you never get to see.

de todas as músicas incríveis de Hamilton, The World Was Wide Enough é uma das minhas preferidas por causa desses versos. e eu acho que dá muito bem pra resumir 2016 nessas poucas palavras escritas tão lindamente pelo Lin-Manuel Miranda.

já aconteceu muitas vezes de chegar essa época de Natal e virada do ano e eu pensar como a música: ‘então é natal e o que você fez?’. a resposta era normalmente um grande NADA. um grito no eco que ninguém jamais ouviria, um vazio, um buraco no tempo espaço. mais um ano em que eu prometi milhares de coisas e não fiz nenhuma delas.

lembro tão claramente quanto o dia que na virada de 2014 para 2015 eu fiz apenas uma resolução de ano novo. não pedi para ser mais feliz, não pedi para viajar, nem mesmo pra ‘encontrar o amor’, o que quer que isso significasse pra mim naquela época. não. as minhas exatas palavras foram ‘esse ano eu juro pra mim mesma que eu vou melhorar’.

naquela época eu tava no meio de uma depressão pesada. O pior já tinha passado, mas ainda assim, melhorar era uma decisão total e completamente minha. essa foi a única resolução de ano novo que eu já cumpri em toda a minha vida. a única com a qual eu me importei de verdade, na real.

desde então a minha vida… ah, ela tem sido maravilhosa. ela mudou muito. eu consegui novos empregos, eu saí da casa da minha mãe e, oficialmente, comecei a andar só com as minhas pernas. mas não foi isso que aconteceu. eu mudei, e eu decidi seguir o meu real propósito na vida. eu topei um trampo que vai garantir que ninguém nunca mais sinta o que eu senti um dia.

a solidão, a tristeza, o desespero. o medo. isso tudo tem ficado cada vez mais para trás, um pontinho que eu vejo no retrovisor que, às vezes, ainda aparece para incomodar, mas que agora eu não deixo mais sufocar o meu coração e me arrancar lágrimas sofridas dos olhos. não sem saber onde recorrer para acabar com isso de uma vez, pelo menos.

também é insano falar que só dois anos se passaram desde então, porque são éons – centenas de milhares de anos – que separam a Maki de hoje com aquela que prometeu melhorar em 2014. E, não, não tem nada a ver com a passagem do tempo, com o amadurecimento ou com a proximidade dos 30 anos. De jeito nenhum, isso tem tudo a ver com o meu propósito.

quando essa jornada toda se apresentou pra mim e eu topei fazer parte dela, mal sabia eu que o trampo seria muito mais profundo e muito mais abrangente. melhorar de vida não tem sentido mais. é preciso treinar muito para salvar todo mundo dessa loucura que a gente chama de mundo.

entra aí a frase de Hamilton. o que é um legado se não uma semente que você planta em um jardim que nunca vai ver? há muito tempo, alguém plantou uma sementinha que está sendo colhida só agora, e eu faço parte desse time que vai te ajudar a ver a única verdade em que vale a pena acreditar: só o amor existe.

toda a tristeza, decepção, insegurança, toda a raiva que a gente vê na tv e todas as vezes que a gente chorou porque não se sentiu amada… tudo isso vai sumir como num sonho, e a gente vai acordar para perceber que a vida é maravilhosa, a gente só tava muito distraído para perceber.

nessa última semana, me veio muito na mente as pessoas que se sentem só e desamparadas, que se sentem tristes e que estão passando por um momento complicado. escrevendo esse texto, eu penso em vocês com um sorriso no rosto. sorrio, porque tem saída. essa nuvem escura que gira incessante em torno da sua cabeça, existe um jeito de mandar ela embora. existe um jeito de você ser feliz todos os dias sem aquela falsidade, de você se sentir amada mesmo sozinha, porque a solidão, no fim das contas, é só uma ilusão a nossa cabeça.

então, peça. faça um pedido sincero. queira ver junto comigo que a vida é sim tudo de bom e que culpar um ano por coisas ruins é démodé. ‘ruim’ é só a forma como a gente vê, no fim das contas.

e quanto a mim? a única resolução de ano novo que eu posso fazer (se é que eu ainda acredito nisso) é essa: eu prometo me abrir para o amor. eu prometo treinar todos os dias, quantas vezes for necessário para que, um dia, você olhe pra mim e reconheça o amor que existe dentro de você. que você me veja e pense que se eu consegui você consegue também. e, acredite, você consegue.

eu prometo me abrir para o amor. eu prometo fazer o que estiver ao meu alcance para que ninguém mais se sinta sozinho, para que ninguém mais sinta que não é amado. não espere que uma mudança no calendário faça da sua vida melhor. se você quer mudar, mude. é tão simples quanto esquentar água pro chá.

então, eu prometo. por você. eu prometo fazer o que eu puder pra gente viver feliz. e se você ainda não consegue ver a coisa assim, não tem problema. eu prometo ver dessa maneira por nós duas (ou três, ou quatro), até que você queria ver igual a mim.

e que venha 2017.

8 comentários

  1. Marta Arruda comentou:

    Oi, lendo o desabafo da Magah lembrei de mim uns anos atrás. Me sentia frustrada no emprego, no casamento e na vida de um modo geral. Nada do que fazia me trazia felicidade. Tb vivia no automático, mas viajei sozinha para colocar as ideias em ordem e resolver o que fazer. Percebi que queria muito mais da vida e sempre quis mais da vida… não sei se isso é bom ou ruim. Mudei de escola (sou professora) me senti mais motivada para trabalhar. Me separei, tive que vender a casa e dividir (mas já não gostava tanto dela assim). Fui morar numa casa alugada… uma casa bonita meio antiguinha mas, perfeita, em um bairro melhor, até pra dar um colorido na vida tão cinza que tava vivendo. Hj vivo mais feliz com a vida que levo… com dois cachorrinhos pretos, meus vasinhos de plantas e flores e meus dois filhos que são a minha vida. Há sim dias de solidão, dias vazios, mas a alma em paz, mais amor por mim mesma e assim vou levando a vida. Tb quero me abrir para o amor, mas antes tenho que me curtir mais, renovar a minha vida pessoal, para viver isso e não deixar a minha felicidade nas mãos de alguém. É isso aí… vida nova, novos sonhos, novos planos!!! E recomeçar…

    1. Maki respondeu Marta Arruda

      Marta, quando a gente entende que a felicidade nunca está do lado de fora, no mundo, e sim dentro da gente, a sensação de liberdade é avassaladora. a partir daí, a gente pode fazer qualquer coisa que tanto faz, mesmo! não existe uma regra pra viver bem, é uma questão de sensação, de olhar pro que a gente sente e ir sempre pelo caminho que deixa o nosso coração em paz, sabe? é impossível não ser feliz assim <3

  2. Magah comentou:

    Encontrei seu blog pesquisando sobre Bullet e acabei lendo outras postagens. Estou num momemto da minha vida em que percebo que a minha vida não é nada do que planejei quando adolescente e essa convicção tem tirado-me do eixo. Incrivelmente não cobro de mim mesma o carro que não tenho, o sucesso profissional visível pela admiração e validação de outros. O que me incomoda é não estar em paz comigo mesma, já não conseguir mais planejar ou tecer uma meta. Tenho vivido no automático e por vezes essa forma de se colocar na vida causa-me estranheza e falta de sentidos.
    No meu bujo fiz um Level 10 life e descobri que não tenho amigos e por incrivel que pareça não sinto falta disso. Tenho me isolado mais e mais. Talvez a forma que encontrei para proteger-me das decepções.
    Sou casada e me pego com frequência sonhando como quando era adolescente e acreditava que os relacionamentos amorosos eram representados pelos contos de fadas e comédias românticas. Sei que mudanças começa por mim e para mim no entanto já está fortemente enraizado em mim reagir negativamente aos acontecimentos que sinto não ter forças para mudar essa realidade. Estou ciente de precisar buscar ajuda. Só não sei se serei capaz de aproveitar essa ajuda. Desculpe o desabafo, mas está tudo tão confuso em mim…

    1. Maki respondeu Magah

      oi, Magah!
      nossa, eu entendo muito essa sensação que você descreveu. eu já me senti muito assim também. mas sabe, o fato de você comentar num blog o que você está sentindo já é uma forma de pedir ajuda. e você só vai saber se vai aproveitar ou não a ajuda que pediu, pedindo! é um processo, você se acostumou muito a ver as coisas de uma forma que te faz mal e agora precisa reaprender a ver de uma forma. o relacionamento (e não digo só o amoroso, TODO relacionamento) é a salvação pro que você sente. não tenha medo de pedir ajuda e de mudar o que você quer mudar. é possível!

  3. TODA VEZ QUE LEIO SEU BLOG ME SINTO ALIVIADA E É MEIO QUE COMO UM CHOQUE DE REALIDADE. TENHO PASSADO POR UMA FASE QUE AINDA NÃO SEI IDENTIFICAR O QUE É E POR NÃO TER CONDIÇÕES FINANCEIRAS NÃO POSSO PROCURAR AJUDA DE UM PSICÓLOGO. MAS, MAKI, MUITO OBRIGADA POR SEU BLOG ESTAR SEMPRE LINDO, DISTRIBUINDO AMOR, FELICIDADE E CARINHO PARA NÓS. CADA DIA QUE PASSO AQUI LENDO E RELENDO ALGUNS TEXTOS É COMO SE TIVESSE UMA AMIGA ME CONSOLANDO AQUI DO LADO. MUITO OBRIGADA, DE CORAÇÃO. QUE SEU 2017 SEJA MARAVILHOSO, CHEIO DE ALEGRIA, AMOR E FELICIDADE <3

    1. Maki respondeu rENATA FREITAS

      Renata, independentemente do seu status financeiro ou qualquer outra coisa, saiba que você nunca tá sozinha. se você acha consolo aqui, que incrível! mais uma prova de que você não precisa passar por isso só. força, que tudo o que você precisa para ser feliz já existe em você mesma ♥

  4. Marina comentou:

    Fico muito feliz de saber que sua resolução de 2014 deu certo. me anima de verdade ler uma coisa assim. não sou de resoluções de ano novo, até porque, pra mim, as mudanças sempre vieram independente do calendário, mas no momento estou criando como resolução ser uma pessoa melhor, mesmo sem saber exatamente o que isso vai significar.

    Sobre mudanças, no início do ano aconteceu comigo uma coisa que eu só consigo ver como destino. tava querendo começar uma mudança na minha vida, mais especificamente na minha personalidade, e por causa de um erro, encontrei uma pessoa que me deu um empurrãozão com isso. resumindo, eu sempre fui uma pessoa muito fechada, na minha, quase não falava nem saía, e isso me fazia muito mal, porque eu tinha vontade de fazer as coisas mas não conseguia, tinha vontade de falar mas não falava, e queria muito mudar isso, mas tava meio travada ainda. me inscrevi num estágio pra ver se mudava alguma coisa, e no dia da entrevista, fui no lugar errado. encontrei um amigo que me incentivou e me ajudou muito com isso, e hoje posso dizer que sou praticamente outra pessoa. tive também outras pessoas que me ajudaram, e isso me fez ver como algumas pessoas são importantes pra mim.

    Feliz 2017! Obrigada pelos posts e pelo blog, continue seu trabalho maravilhoso ano que vem <3

    1. Maki respondeu Marina

      Marina, que incrível isso! quando a gente faz um pedido sincero, a resposta vem mesmo, e isso com certeza foi uma resposta pra um pedido que você fez! sabe, uma coisa que me ajudou muito nesse processo de mudança foi substituir o ‘não consigo’ por ‘não quero’. tudo ganha uma perspectiva diferente quando a gente olha assim! um feliz 2017 pra você também! e pode deixar que eu continuo aqui!

deixe seu comentário