7 lições que eu aprendi em 7 meses de bullet journal

Tem quase sete meses que eu comecei a usar o bullet journal e, honestamente, não sei se conseguiria deixar de usá-lo a essa altura do campeonato. Ele entrou para a minha rotina e é uma ferramenta incrível pra quem trabalha em casa e é fã de métodos analógicos, como eu.

7 lições que eu aprendi em 7 meses de bullet journal

O mais legal é que, depois que eu comecei a usar o BuJo, vi várias pessoas que também passaram a usar e adorar esse método. A Nina, do Querido Click, é uma delas, e me contou que adotou o bullet journal porque sentiu a necessidade de se organizar. “Decidi começar com o Bujo porque senti uma necessidade de organizar não só a minha vida, como também todas as listas espalhadas que tinha em vários caderninhos diferentes. Com esse sistema vi a possibilidade de concentrar tudo em um só lugar, e deu super certo”

Uma coisa incrível que a Nina falou também, quando eu perguntei as lições que o BuJo ensinou para ela, é que o principal é que esse método a ensinou a ter prazer na organização. Olha que legal isso!

Acho que essa, na verdade, é a chave de tudo: ter prazer no que você faz. De nada adianta você adotar o BuJo se te enche o saco escrever nele todo dia, ir e voltar no Index, nos calendários, etc. O legal é você curtir fazer, assim como tudo na vida, não é mesmo? Nada precisa ser chato.

Com essa ideia da Nina na cabeça, eu separei algumas das lições que aprendi com o bullet journal nos últimos sete meses:

1.Improvisar

O legal do BuJo é que você pode improvisar muita coisa. Uma tabela de trabalho no meio da sua semana, uma lista de compras, um tracker pra controlar um remédio que você precisa tomar. Qualquer coisa! É bem a arte do improviso, nada é totalmente fixo no BuJo e você pode, por exemplo, usar uma página em branco que sobrou para fazer um desenho, escrever um quote que você gosta ou qualquer coisa assim. É uma forma de sair das amarras do ‘tudo tem que ter o seu lugar exato’, sabe?

2.Tudo bem errar

Eu sempre acreditei que não podia errar nada. Sou dessas que já recomeçou um caderno inteiro de anotações na escola porque não dava pra ter ~aquele erro grotesco~ de layout ou porque a minha letra tava ~feia demais~. (true story, bro) Como BuJo eu estou aprendendo que tudo bem errar. No meu caderno novo (como bullet journal de abril), eu errei um dia nos calendários do future log e me deu uma dor danada de passar o branquinho e refazer tudo, mas o layout tava tão legal, eu coloquei tanto carinho ali, que tudo bem, sabe? Tem horas que você escreve na pressa e erra o dia da semana, ou que esquece uma letra na hora de fazer aquela frase bonitona no meio página. Ok, não muda nada. É só um errinho. Tá tudo bem, bola pra frente!

3.Usar as mãos é legal!

Eu tinha esquecido o quanto eu gostava de fazer as coisas com as mãos. Eu amo escrever e eu sempre gostei muito de ter aqueles cadernos repletos de anotações, cheio de subtítulos e canetinhas coloridas e tudo mais. É legal reservar um tempo do meu dia pra ficar longe do PC e dedicar – 20 minutos que seja – pra montar o meu Daily Log do dia ou pra fazer um desenho ou uma anotação legal no BuJo. É uma terapia mesmo!

4.Tudo é adaptável

É como eu falei ali no começo: sendo um fiel escudeiro da arte do improviso, tudo pode ser adaptável no BuJo. Você não gosta do modelo original? Dá pra adaptar às suas necessidades. Você prefere separar o seu log por semanas? Pode fazer, sim. Quer ter uma página só pra marcar o número de vezes que você viu carros azuis na rua? Pode também! Ele serve pro que você quiser, essa é a beleza da coisa. O mais importante é você estabelecer o propósito do seu BuJo e aí moldar o caderninho ao que você precisa.

Eu já comentei que tenho mesmo muito prazer em fazer o meu bullet journal, né? E é verdade. Eu amo parar pra escrever nele, fazer desenhos nele, tudo! Tem dias que vejo a página com um cantinho em branco e já penso ‘Hum, o que que dá pra colocar ali?’. É uma diversão mesmo. E isso é o mais bacana de tudo: quando você faz alguma coisa de acordo com quem você é de verdade, tudo fica divertido, tudo fica leve!

Me conta, o que você aprendeu com o bullet journal?

6 comentários

  1. Eu estou adorando usar o bujo, principalmente pelo fato de que dá pra colcar TODOS os aspectos da sua vida lá, lista de livro ? Dá pra colocar, lista de roupas ? da pra colocar, enfim dá pra fazer tudo lá, e na era da tecnologia, vou te confessar que eu gosto mesmo é de colocar a mão na massa ♥

    1. Maki respondeu Clara Rocha

      Sim, eu sou assim também! Eu sou muito viciada no BuJo, porque dá uma liberdade imensa. Você pode montar como você quiser, sem problema! É muito amor.

  2. Cada dia mais eu vejo gente falando do bullet journal, e confesso que estou ficando bastante curiosa! Eu tenho uma infinidade de cadernos, diários, agendas, muita coisa mesmo ocupando espaço dentro das gavetas. Eu sempre tento me organizar com um (ou vários) deles, mas a vida fica corrida, o tempo passa e, quando eu percebo, faz meses que não escrevo.

    1. Maki respondeu Marcela

      Nossa, eu tinha MUITO esse problema. Tinha mil cadernos que eu usava até a metade (ou nem isso) e depois largava, agendas que usava só até fevereiro e depois desencana. Um horror. Mas o Bullet Journal é incrível e eu tenho usado muito MESMO. É mara ♥ (mas sou suspeita pra falar, né?)

  3. Luma comentou:

    gosto muito do método, leio algumas coisas sobre, mas na hora da ação não consigo manter a rotina… vou continuar tentando. parabéns, teu blog é muito lindo, combina com você <3

    1. Maki respondeu Luma

      Oi, Luma!
      Pois é, é uma questão de hábito mesmo. Mas se você não se adaptou, não tem problema em procurar outro método que se adapte melhor à sua rotina!
      Obrigada pelos elogios ♥

deixe seu comentário